Justiça da Venezuela congela bens da Odebrecht

A Justiça da Venezuela anunciou o congelamento de contas bancárias e outros ativos da empreiteira Odebrecht na Venezuela; ação foi parte de uma investigação aberta após a empresa brasileira ter confessado pagamento de quase US$ 100 milhões em propinas no país; no dia anterior, os escritórios da companhia haviam sido alvo de uma operação de busca e apreensão

Sede Odebrecht
Sede Odebrecht (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Autoridades congelaram, nesta quarta-feira (15), contas bancárias e outros ativos da empreiteira Odebrecht na Venezuela. A ação foi parte de uma investigação aberta após a empresa brasileira ter confessado pagamento de quase US$ 100 milhões em propinas no país. No dia anterior, os escritórios da companhia haviam sido alvo de uma operação de busca e apreensão. 

As informações são de reportagem do Estado de S.Paulo.

"Não houve detenção de funcionários hoje, mas os promotores confirmaram ter solicitado à Interpol uma ordem de captura de uma pessoa ligada às suspeitas – a identidade do procurado não foi divulgada.

O principal líder da oposição ao governo de Nicolás Maduro, o governador de Miranda, Henrique Capriles, voltou a negar hoje que tenha recebido qualquer vantagem da empreiteira – uma das principais obras sob investigação fica no Estado governado por ele.

Capriles já disse anteriormente temer que os chavistas utilizem as investigações sobre propinas da Odebrecht para tentar pressionar e incriminar opositores. 'O governo que comando, durante o período em que tenho sido governador do Estado bolivariano de Miranda, nunca em minha trajetória como servidor público, prefeito ou governador, nunca assinei qualquer contrato com a Odebrecht', afirmou, acrescentando que as investigações deveriam se concentrar no chavista Diosdado Cabello, que governou Miranda em um período anterior."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247