Latam anuncia demissões após trabalhadores rejeitarem redução permanente dos salários

Após trabalhadores rejeitarem em assembleia do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), a proposta que previa redução permanente dos salários, a empresa anunciou as demissões

Avião da LATAM
Avião da LATAM (Foto: REUTERS/Ivan Alvarado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após o assembleia de trabalhadores realizada pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) rejeitar proposta de redução dos salários, a Latam anunciou nesta sexta-feira (31) que vai demitir ao menos 2.700 profissionais.

A empresa tem cerca de 7.000 tripulantes, sendo 5.000 comissários e 2.000 pilotos. A empresa afirma que deve demitir pelo menos 2.000 comissários e 700 pilotos.

O sindicato destaca em nota no site que já firmou mais de 60 acordos coletivos com empresas de aéreas de todos os segmentos, incluindo Gol e Azul, para enfrentamento da crise, "sempre com reduções de salário e jornada temporários e com manutenção dos empregos como contrapartida", diferentemente da proposta apresentada pela Latam, que queria uma redução permanente dos salários usando como justificativa a pandemia do novo coronavírus.

De acordo com reportagem da coluna Painel, a empresa já abre nesta sexta o processo de pedido de demissão voluntária, que deve ser feito até terça-feira (4). Depois disso, começam os desligamentos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247