Lava Jato deixa R$ 90 bi em obras paradas no País

Rastro da operação que investiga o escândalo de corrupção em contratos da Petrobras atinge construções de Norte a Sul do Brasil, que, se estivessem em operação, trariam diversos benefícios para a população, como mobilidade urbana, rodovias, universidades e centros de saúde, além da economia, como os investimentos da Petrobras; todas elas têm em comum o envolvimento de empreiteiras que são investigadas pela Polícia Federal por corrupção e com graves problemas financeiros para dar sequência às construções; levantamento foi feito pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e pelo Estado de S.Paulo

Rastro da operação que investiga o escândalo de corrupção em contratos da Petrobras atinge construções de Norte a Sul do Brasil, que, se estivessem em operação, trariam diversos benefícios para a população, como mobilidade urbana, rodovias, universidades e centros de saúde, além da economia, como os investimentos da Petrobras; todas elas têm em comum o envolvimento de empreiteiras que são investigadas pela Polícia Federal por corrupção e com graves problemas financeiros para dar sequência às construções; levantamento foi feito pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e pelo Estado de S.Paulo
Rastro da operação que investiga o escândalo de corrupção em contratos da Petrobras atinge construções de Norte a Sul do Brasil, que, se estivessem em operação, trariam diversos benefícios para a população, como mobilidade urbana, rodovias, universidades e centros de saúde, além da economia, como os investimentos da Petrobras; todas elas têm em comum o envolvimento de empreiteiras que são investigadas pela Polícia Federal por corrupção e com graves problemas financeiros para dar sequência às construções; levantamento foi feito pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e pelo Estado de S.Paulo (Foto: Gisele Federicce)

247 - A Operação Lava Jato faz com que mais de R$ 90 bilhões em obras de Norte a Sul do Brasil estejam paralisadas, aponta um levantamento feito pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic) e pelo jornal O Estado de S.Paulo.

O rastro da operação atinge construções que, se estivessem em operação, trariam diversos benefícios para a população brasileira, como mobilidade urbana, rodovias, universidades e centros de saúde, além de resultados importantes na economia, como os investimentos da Petrobras.

Todas elas têm como responsáveis empreiteiras que são investigadas pela Polícia Federal por corrupção e outros crimes, além de graves problemas financeiros para dar sequência às construções.

Em os motivos para a paralisação das obras estão o sobrepreço, divergências em relação ao valor das obras e falta de financiamento ou recursos próprios.

Alguns exemplos são o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras, que já tem equipamentos se deteriorando, a Hidrelétrica São Roque, cuja retomada criaria mil empregos durante 10 meses, e o BRT Via Livre Leste-Oeste, em Pernambuco, entre outros.

"Há um conjunto grande de obras paradas no Brasil inteiro, mas os dois maiores símbolos da paralisia dos investimentos são a Linha 6 do metrô de São Paulo e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). São dois desastres", afirma o presidente da consultoria Inter.B, Claudio Frischtak.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247