Levy pede mais cortes de gastos do governo

Segundo o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, o governo terá de cortar mais gastos para compensar a queda das receitas tributarias e para evitar o agravamento da crise; “Tinha gente que achava que o downgrade estava no preço e que, portanto, podíamos ser complacentes. Ficou claro que não estava e que temos rapidamente de fazer mais contenção nos gastos para contrabalancear impostos, porque a economia pode piorar se titubearmos agora”, disse 

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, participa do Semin�rio OCDE, Organiza��o para a Coopera��o e Desenvolvimento Econ�mico (Antonio Cruz/Ag�ncia Brasil)
O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, participa do Semin�rio OCDE, Organiza��o para a Coopera��o e Desenvolvimento Econ�mico (Antonio Cruz/Ag�ncia Brasil) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, aleta que o governo terá de cortar mais gastos para compensar a queda das receitas tributarias e para evitar o agravamento da crise.

“Tinha gente que achava que o downgrade estava no preço e que, portanto, podíamos ser complacentes. Ficou claro que não estava e que temos rapidamente de fazer mais contenção nos gastos para contrabalancear impostos, porque a economia pode piorar se titubearmos agora”, disse, em entrevista ao Valor.

Segundo ele, não haverá recuperação se a equação fiscal não for resolvida. “Se a gente não fizer nada ou se perder em opção mirificas, as condições de financiamento para o Brasil vão se deteriorar muito rapidamente”, acrescentou (leia aqui). 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247