Mais 3,1 milhões de norte-americanos pediram acesso ao auxílio-desemprego na última semana

Relatório do Departamento do Trabalho mostrou que os pedidos de auxílio-desemprego totalizaram 3,169 milhões na semana encerrada em 2 de maio, sugerindo que as demissões passaram das indústrias para outros segmentos da economia

Criação de empregos nos Estados Unidos acelerou em fevereiro e a taxa de desemprego caiu para 5,5%, sinais que podem encorajar o Federal Reserve, banco central do país, a considerar elevar a taxa de juros em junho; no mês passado foram criadas 295 mil vagas após 239 mil em janeiro, em dado revisado para baixo, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira, 6; taxa de desemprego em janeiro era de 5,7%
Criação de empregos nos Estados Unidos acelerou em fevereiro e a taxa de desemprego caiu para 5,5%, sinais que podem encorajar o Federal Reserve, banco central do país, a considerar elevar a taxa de juros em junho; no mês passado foram criadas 295 mil vagas após 239 mil em janeiro, em dado revisado para baixo, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira, 6; taxa de desemprego em janeiro era de 5,7% (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Reuters - Milhões mais de norte-americanos buscaram auxílio-desemprego na semana passada, sugerindo que as demissões passaram das indústrias para outros segmentos da economia e podem continuar elevadas mesmo com muitas partes do país começando a reabrir a economia.

O relatório semanal do Departamento do Trabalho mostrou nesta quinta-feira que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego totalizaram 3,169 milhões em dado ajustado sazonalmente na semana encerrada em 2 de maio, contra 3,846 milhões na semana anterior.

Economistas consultados pela Reuters projetavam 3 milhões de pedidos na última semana, contra 3,839 milhões reportados inicialmente para a semana encerrada em 25 de abril

Os dados sustentam as visões de economistas de uma recuperação longa da economia, afetada pelas paralisações devido ao combate ao coronavírus.

A economia encolheu no primeiro trimestre no ritmo mais forte desde a Grande Recessão de 2007-2009. O relatório seguiu-se à notícia na véspera de fechamento de um recorde de 20,2 milhões de postos de trabalho no setor privado em abril.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247