Meirelles: Brasil pode precisar aumentar impostos

Cotado para a Fazenda em eventual governo Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles não descarta a hipótese de aumentar impostos, o que "talvez seja necessário, mas claramente temporário"; ele projetou três cenários para a expansão do PIB na próxima década: 1,2% se nada for feito, 2,6% com ajustes básicos e 4% com reformas efetivas

Cotado para a Fazenda em eventual governo Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles não descarta a hipótese de aumentar impostos, o que "talvez seja necessário, mas claramente temporário"; ele projetou três cenários para a expansão do PIB na próxima década: 1,2% se nada for feito, 2,6% com ajustes básicos e 4% com reformas efetivas
Cotado para a Fazenda em eventual governo Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles não descarta a hipótese de aumentar impostos, o que "talvez seja necessário, mas claramente temporário"; ele projetou três cenários para a expansão do PIB na próxima década: 1,2% se nada for feito, 2,6% com ajustes básicos e 4% com reformas efetivas (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Cotado para a Fazenda em eventual governo Temer, o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles não descarta a hipótese de aumentar impostos, o que "talvez seja necessário, mas claramente temporário".

Em evento em Nova York nesta segunda (18), ele disse que "não comenta nenhum tipo de conversa particular" sobre sua possível nomeação, mas indicou, o que faria para "assegurar que o Estado brasileiro recupere a confiança".

Sua lista inclui uma reforma tributária, “que afeta empresas e afugenta investimentos do país”. Ele projetou três cenários para a expansão do PIB na próxima década: 1,2% se nada for feito, 2,6% com ajustes básicos e 4% com reformas efetivas.

Leia aqui na reportagem de Anna Virginia Balloussier sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247