Mendonça de Barros: Aécio trará choque positivo que falta

Ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros afirma, no entanto, que cenário não é de crise, mas que consumo bateu no teto: "Só que o governo Dilma, com todas as agressões que fez ao setor privado, como a confusão na energia elétrica, tirou o ânimo de investimento do empresário"; membro do governo tucano de FHC, ele defende que uma eventual vitória de Aécio Neves (PSDB) trará o choque positivo que falta para que o investimento volte a fluir

Ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros afirma, no entanto, que cenário não é de crise, mas que consumo bateu no teto: "Só que o governo Dilma, com todas as agressões que fez ao setor privado, como a confusão na energia elétrica, tirou o ânimo de investimento do empresário"; membro do governo tucano de FHC, ele defende que uma eventual vitória de Aécio Neves (PSDB) trará o choque positivo que falta para que o investimento volte a fluir
Ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros afirma, no entanto, que cenário não é de crise, mas que consumo bateu no teto: "Só que o governo Dilma, com todas as agressões que fez ao setor privado, como a confusão na energia elétrica, tirou o ânimo de investimento do empresário"; membro do governo tucano de FHC, ele defende que uma eventual vitória de Aécio Neves (PSDB) trará o choque positivo que falta para que o investimento volte a fluir (Foto: Roberta Namour)

247 – O ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros acredita que o Brasil chegou a exaustação de seu modelo de crescimento baseado no consumo: “O PIB é uma comprovação dura de um quadro que existe há algum tempo: o consumo bateu no teto”.

Segundo ele, o cenário não é de crise, mas falta investimento. “Só que o governo Dilma, com todas as agressões que fez ao setor privado, como a confusão na energia elétrica, tirou o ânimo de investimento do empresário”, afirma.

Membro do governo tucano de Fernando Henrique Cardoso, ele diz que, se a presidente Dilma Rousseff não passar uma mensagem clara de que vai mudar a política econômica, vamos ter um choque negativo de confiança. Mendonça de Barros defende ainda que uma eventual vitória de Aécio Neves (PSDB) trará o choque positivo que falta para que o investimento volte a fluir.

Leia aqui a entrevista publicada no Valor.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247