Mercado reduz projeção do PIB para 2017

Economistas consultados pelo Banco Central cada vez acreditam menos que a economia brasileira, que vive a pior recessão de sua história com redução de 7,4% do PIB em dois anos, irá se recuperar; segundo o Boletim Focus, divulgados nesta segunda-feira, 13, a expectativa de crescimento do PIB caiu de 0,49% para 0,48%; o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem estudos que prvêem queda de até 1,1% do PIB este ano; para o mercado, a inflação terminará 2017 com alta de 4,19%, e a taxa de juros esperada para o fim do ano cedeu de 9,25% para 9,00%

Economistas consultados pelo Banco Central cada vez acreditam menos que a economia brasileira, que vive a pior recessão de sua história com redução de 7,4% do PIB em dois anos, irá se recuperar; segundo o Boletim Focus, divulgados nesta segunda-feira, 13, a expectativa de crescimento do PIB caiu de 0,49% para 0,48%; o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem estudos que prvêem queda de até 1,1% do PIB este ano; para o mercado, a inflação terminará 2017 com alta de 4,19%, e a taxa de juros esperada para o fim do ano cedeu de 9,25% para 9,00%
Economistas consultados pelo Banco Central cada vez acreditam menos que a economia brasileira, que vive a pior recessão de sua história com redução de 7,4% do PIB em dois anos, irá se recuperar; segundo o Boletim Focus, divulgados nesta segunda-feira, 13, a expectativa de crescimento do PIB caiu de 0,49% para 0,48%; o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem estudos que prvêem queda de até 1,1% do PIB este ano; para o mercado, a inflação terminará 2017 com alta de 4,19%, e a taxa de juros esperada para o fim do ano cedeu de 9,25% para 9,00% (Foto: Aquiles Lins)

Do Infomoney - Economistas de mercado consultados pelo Banco Central revisaram para baixo suas projeções para os principais indicadores da economia em 2017, segundo a edição mais recente do relatório Focus, divulgada na manhã desta segunda-feira (13).

As expectativas dos especialistas consultados semanalmente pela autoridade monetária para o PIB (Produto Interno Bruto) recuaram de 0,49% para 0,48%, enquanto as estimativas para a inflação oficial medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) caíram de 4,36% para 4,19%, e a taxa de juros esperada para o fim do ano cedeu de 9,25% para 9,00%

De acordo com o levantamento, as projeções para o PIB de 2018 passaram de 2,39% para 2,40%, enquanto a taxa Selic esperada para o fim do ano caiu de 9,00% para 8,75%. A estimativa para o IPCA foi mantida em 4,50%.

Já a taxa de câmbio esperada para o fim de 2017 foi mantida em R$ 3,30, e a referente ao fim de 2018 também seguiu inalterada em R$ 3,40.

Entre os cinco economistas que mais acertam, no cenário de curto prazo, a mediana das projeções para o IPCA caiu de 4,08% para 3,90% neste ano e se manteve em 4,50% no ano seguinte. A estimativa para taxa Selic recuou de 9,25% para 9,00% ao fim de 2017 e avançou de 8,50% para 8,75% no final de 2018.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247