Mercados fazem vista grossa a “quadrilhão” de Temer

Os fortes indícios de corrupção apresentados contra Michel Temer, apontado pela PGR como chefe da quadrilha do PMDB, estão sendo praticamente ignorados pelo mercado; embora o noticiário político tenha esquentado nos últimos dias, o tom geral do mercado financeiro foi positivo; diferentemente do que acontecia até algumas semanas atrás, investidores têm demonstrado menor sensibilidade aos eventos vindos de Brasília; uma das razões para esse relativo descolamento entre economia e política, dizem gestores e economistas, são os sinais de que a atividade pode ter um ritmo de recuperação mais acelerado do que se previa, o que ajuda a melhorar tanto o cenário fiscal como as condições para as próximas eleições

michel temer
eliseu padilha
moreira franco
michel temer eliseu padilha moreira franco (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Diferentemente do que acontecia até algumas semanas atrás, investidores têm demonstrado menor sensibilidade aos eventos  de corrupção vindos de Brasília. Uma das razões para esse relativo descolamento entre economia e política, dizem gestores e economistas ouvidos pelo Valor, são os sinais de que a atividade pode ter um ritmo de recuperação mais acelerado do que se previa, o que ajuda a melhorar tanto o cenário fiscal como as condições para as próximas eleições.

"A tendência para o Brasil segue positiva, principalmente para a bolsa, que é o mercado que vai refletir a volta do crescimento na veia", afirma Luiz Eduardo Portella, sócio e gestor da Modal Asset Management. "Os juros longos e o câmbio devem se beneficiar do avanço das reformas, mas podem ser impactados pelo mercado internacional com a reversão desse movimento de fechamento de juros nos Estados Unidos e de dólar fraco."

Ou seja: o mercado segue fazendo vista grossa para o quadrilhão de Michel Temer.

As informações são de reportagem de Lucas Hirata e Lucinda Pinto no Valor.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247