Monica de Bolle: alta do dólar mostra falta de solidez na recuperação

Economista ultraliberal que combateu os governos do PT, apoiou o golpe contra Dilma e a política econômica do governo Michel Temer, Monica de Bolle avalia que a recente desvalorização do real é uma "reação retardada" do mercado ao reconhecimento de que a recuperação brasileira não é tão sólida quanto aparentava

Economista ultraliberal que combateu os governos do PT, apoiou o golpe contra Dilma e a política econômica do governo Michel Temer, Monica de Bolle avalia que a recente desvalorização do real é uma "reação retardada" do mercado ao reconhecimento de que a recuperação brasileira não é tão sólida quanto aparentava
Economista ultraliberal que combateu os governos do PT, apoiou o golpe contra Dilma e a política econômica do governo Michel Temer, Monica de Bolle avalia que a recente desvalorização do real é uma "reação retardada" do mercado ao reconhecimento de que a recuperação brasileira não é tão sólida quanto aparentava (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Economista ultraliberal que combateu os governos do PT, apoiou o golpe contra Dilma e a política econômica do governo Michel Temer, Monica de Bolle avalia que a recente desvalorização do real é uma "reação retardada" do mercado ao reconhecimento de que a recuperação brasileira não é tão sólida quanto aparentava.

Segundo Monica, esta desvalorização também é um alerta para a percepção de que o impacto de conflitos comerciais entre Estados Unidos, China e União Europeia poderá ser maior do que o esperado.

A economista diz que no Brasil a situação se agrava por causa dos altos juros dos EUA e das incertezas sobre o cenário político brasileiro. "A tendência é que os problemas fiscais continuem até que alguém os resolva e que os problemas externos também continuem até que a administração Donald Trump mude de ideia. E, por enquanto não vejo sua administração mudar de ideia", acrescentou.

No dia 1º de julho ela se tornará a primeira brasileira a assumir a chefia dos Programas de América Latina e de Mercados Emergentes da Escola de Estudos Internacionais Avançados da Universidade Johns Hopkins, uma das melhores dos EUA.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247