Moro: Petrobras é vítima e sairá mais forte da crise

Juiz federal responsável pelos processos da Lava Jato, Sérgio Moro afirma que "a investigação e a persecução não têm cores partidárias" e que "o processo também não se dirige contra a Petrobras. A empresa estatal é vítima dos crimes. A investigação e a revelação dos malfeitos, embora possam acarretar ônus momentâneos, trarão benefícios muito maiores no futuro a ela"; declarações foram registradas no despacho em que aceitou a primeira denúncia criminal do caso, que atingiu executivos das grandes empreiteiras do País; Moro ressalta ainda que a investigação recebeu apoio expressivo de elevadas autoridades políticas, como a presidente da República, Dilma Rousseff, e o senador Aécio Neves

Juiz federal responsável pelos processos da Lava Jato, Sérgio Moro afirma que "a investigação e a persecução não têm cores partidárias" e que "o processo também não se dirige contra a Petrobras. A empresa estatal é vítima dos crimes. A investigação e a revelação dos malfeitos, embora possam acarretar ônus momentâneos, trarão benefícios muito maiores no futuro a ela"; declarações foram registradas no despacho em que aceitou a primeira denúncia criminal do caso, que atingiu executivos das grandes empreiteiras do País; Moro ressalta ainda que a investigação recebeu apoio expressivo de elevadas autoridades políticas, como a presidente da República, Dilma Rousseff, e o senador Aécio Neves
Juiz federal responsável pelos processos da Lava Jato, Sérgio Moro afirma que "a investigação e a persecução não têm cores partidárias" e que "o processo também não se dirige contra a Petrobras. A empresa estatal é vítima dos crimes. A investigação e a revelação dos malfeitos, embora possam acarretar ônus momentâneos, trarão benefícios muito maiores no futuro a ela"; declarações foram registradas no despacho em que aceitou a primeira denúncia criminal do caso, que atingiu executivos das grandes empreiteiras do País; Moro ressalta ainda que a investigação recebeu apoio expressivo de elevadas autoridades políticas, como a presidente da República, Dilma Rousseff, e o senador Aécio Neves (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – No despacho em que aceitou, na última sexta-feira 12, a primeira denúncia criminal no âmbito da Operação Lava Jato, o juiz Sério Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, afirmou que "a investigação e a persecução não têm cores partidárias" e que a Petrobras, que pagou por obras superfaturadas, "é vítima dos crimes". A estatal, de acordo com o magistrado, deverá sair mais forte da crise que a atinge no momento.

"O processo também não se dirige contra a Petrobras. A empresa estatal é vítima dos crimes. A investigação e a revelação dos malfeitos, embora possam acarretar ônus momentâneos, trarão benefícios muito maiores no futuro a ela", declarou Sérgio Moro no documento. Com a aceitação da denúncia do Ministério Público por Moro, nove investigados passam a ser réus, inclusive o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Ele disse ainda que a investigação e a persecução "inclusive receberam apoios expressos de elevadas autoridades políticas de partidos opostos, como da Exma. Sra. Presidenta da República, Dilma Rousseff, e do Exmo. Sr. senador da República Aécio Neves". Para o magistrado, "não há alternativa além da prevenção e da repressão à cultura da corrupção, fatal a qualquer empresa, privada ou pública, e à própria democracia".

Na apresentação da denúncia contra 36 pessoas na semana passada, o Ministério Público Federal do Paraná também apontou que a Petrobras foi "vítima" de um "imenso e gigantesco esquema criminoso", nas palavras do procurador Deltan Dallagnol. A estatal do petróleo "pagava de forma sobrevalorada as obras dessas empreiteiras" que formavam o cartel, explicou (leia mais).

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247