Na depressão econômica de Temer, 1,3 milhão deixaram planos de saúde

Levantamento do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) divulgado nesta terça-feira, 24, mostra que a pior crise econômica do Brasil, provocada pela ascensão de Michel Temer à Presidência por meio de um golpe parlamentar, fez com que 1.370.000 pessoas abandonassem planos de saúde; em comparação com 2015, os usuários de planos de saúde reduziram 2,8%; região que mais trocou planos pelo atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) foi a Sudeste; apenas no estado de São Paulo, 630,3 mil beneficiários deixaram de contar com o plano de saúde; segundo a entidade, o trágico cenário econômico e a queda do nível de emprego no país, com a redução de 1,3 milhão de postos de trabalho formais em 2016, são as principais causas dos brasileiros deixarem de contar com o plano de saúde

Levantamento do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) divulgado nesta terça-feira, 24, mostra que a pior crise econômica do Brasil, provocada pela ascensão de Michel Temer à Presidência por meio de um golpe parlamentar, fez com que 1.370.000 pessoas abandonassem planos de saúde; em comparação com 2015, os usuários de planos de saúde reduziram 2,8%; região que mais trocou planos pelo atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) foi a Sudeste; apenas no estado de São Paulo, 630,3 mil beneficiários deixaram de contar com o plano de saúde; segundo a entidade, o trágico cenário econômico e a queda do nível de emprego no país, com a redução de 1,3 milhão de postos de trabalho formais em 2016, são as principais causas dos brasileiros deixarem de contar com o plano de saúde
Levantamento do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) divulgado nesta terça-feira, 24, mostra que a pior crise econômica do Brasil, provocada pela ascensão de Michel Temer à Presidência por meio de um golpe parlamentar, fez com que 1.370.000 pessoas abandonassem planos de saúde; em comparação com 2015, os usuários de planos de saúde reduziram 2,8%; região que mais trocou planos pelo atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) foi a Sudeste; apenas no estado de São Paulo, 630,3 mil beneficiários deixaram de contar com o plano de saúde; segundo a entidade, o trágico cenário econômico e a queda do nível de emprego no país, com a redução de 1,3 milhão de postos de trabalho formais em 2016, são as principais causas dos brasileiros deixarem de contar com o plano de saúde (Foto: Felipe L. Goncalves)

Fernanda Cruz, da Agência Brasil - O número de brasileiros que abandonaram os planos de saúde em 2016 caiu 2,8%, na comparação com o ano anterior. Foram 1,37 milhão de pessoas que deixaram os planos de saúde no ano passado, de acordo com o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS).

A Região Sudeste puxou a queda do total de beneficiários. Em 2016, 1,1 milhão dos que abandonaram os planos ( 79,9% do total do país) concentraram-se no Sudeste. Apenas no estado de São Paulo, 630,3 mil beneficiários deixaram de contar com o plano de saúde.

A Região Sul encerrou 2016 com 95,85 mil beneficiários a menos. A queda, de 1,4%, foi puxada pelo Paraná, que perdeu 41,3 mil vínculos (1,5%) no período analisado. No Centro-Oeste, 42,6 mil beneficiários deixaram seus planos, sendo 16 mil em Mato Grosso e 13,5 mil em Brasília. No Nordeste, foram 103,9 mil vínculos rompidos, 39,6 mil apenas na Bahia.

Para o superintendente executivo do IESS, Luiz Augusto Carneiro, o resultado negativo para o setor se deve ao cenário econômico desfavorável e à queda do nível de emprego no país, com a redução de postos de trabalho formais.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247