Odebrecht diz que sua sobrevivência está em risco

Maior empreiteira brasileira, a Odebrecht tenta um acordo simultâneo no Brasil e nos Estados Unidos para voltar a operar sem maiores transtornos judiciais; para isso, a empresa de Marcelo Odebrecht, que está preso em Curitiba, contratou o advogado William Burck e alega que o bloqueio de recursos coloca em risco a própria continuidade da empresa

Maior empreiteira brasileira, a Odebrecht tenta um acordo simultâneo no Brasil e nos Estados Unidos para voltar a operar sem maiores transtornos judiciais; para isso, a empresa de Marcelo Odebrecht, que está preso em Curitiba, contratou o advogado William Burck e alega que o bloqueio de recursos coloca em risco a própria continuidade da empresa
Maior empreiteira brasileira, a Odebrecht tenta um acordo simultâneo no Brasil e nos Estados Unidos para voltar a operar sem maiores transtornos judiciais; para isso, a empresa de Marcelo Odebrecht, que está preso em Curitiba, contratou o advogado William Burck e alega que o bloqueio de recursos coloca em risco a própria continuidade da empresa (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Maior empreiteira brasileira, a Odebrecht tenta um acordo simultâneo no Brasil e nos Estados Unidos para voltar a operar sem maiores transtornos judiciais.

Para isso, a empresa de Marcelo Odebrecht, que está preso em Curitiba, contratou o advogado William Burck e alega que o bloqueio de recursos coloca em risco a própria continuidade da empresa.

"A Odebrecht tem a expectativa de pagar nos EUA multa equivalente a cerca de R$ 750 milhões, valor menor do que o que deve ser firmado com as autoridades brasileiras", diz reportagem de Bela Megale e Julio Wiziack.

Eles informam que os procuradores da Lava Jato pretendem cobrar pelo menos R$ 6 bilhões.

"A negociação do acordo é vital para que o mercado norte-americano não feche as portas para Odebrecht. Se o grupo tiver qualquer pendência junto à Justiça dos EUA, não poderá mais fazer negócios no país, seja com empresas ou instituições bancárias", diz a reportagem.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email