Odebrecht pode ser vendida para grupo chinês

Segundo a coluna Radar On-Line, a Odebrecht está em negociações adiantadas para vender sua construtora, uma das jóias da coroa, para um grupo chinês; a Odebrecht negou, em nota, que está negociando a venda de seus ativos

Logo da Odebrecht em edifício da empreiteira em Lima, no Peru. REUTERS/Janine Costa.
Logo da Odebrecht em edifício da empreiteira em Lima, no Peru. REUTERS/Janine Costa. (Foto: Gisele Federicce)

247 - Segundo a coluna Radar On-Line, a Odebrecht está em negociações adiantadas para vender sua construtora, uma das jóias da coroa, para um grupo chinês.

Depois da Operação Lava Jato, a empreiteira tem rebaixado seus executivos de cargo, a fim de reduzir custos, e vendido seu patrimônio para tentar se recuperar.

Em pouco mais de um ano, a empresa investigada perdeu mais da metade de seus funcionários e tem dezenas de obras paradas no País.

Por causa de seus crimes, a companhia terá de pagar uma multa de US$ 2,6 bilhões ao Brasil, Suíça e Estados Unidos.

A Odebrecht negou, em nota, a informação. 

Leia a íntegra da nota da Odebrecht.

"Em relação à nota intitulada "Avanço asiático", publicada na coluna Radar, da revista Veja desta semana, a Odebrecht S.A., holding do grupo, esclarece que não procede a informação de que a sua construtora estaria sendo vendida a um grupo chinês. A Odebrecht Engenharia e Construção segue à frente de mais de 40 obras de infraestrutura e montagem industrial em onze países, empregando mais de 40 mil pessoas de 70 nacionalidades, e vem prospectando novas oportunidades para assegurar o seu crescimento sustentável e a manutenção dos postos de trabalho através de uma atuação ética, íntegra e transparente."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247