Parente diz que política de preços da Petrobras não muda e greve continua

Segundo o presidente da Petrobras, Pedro Parente, "de maneira nenhuma o objetivo seria o governo pedir qualquer mudança na política de preços da Petrobras"; Parente disse que os reajustes estão relacionados aos preços internacionais e ao câmbio; governo Temer sofre pressão de caminhoneiros por causa de reajustes nos preços de derivados de petróleo; desde julho do ano passado,  Petrobras reajustou o preço do óleo diesel em suas refinarias 121 vezes, de acordo com o Centro Brasileiro de Infraestrutura

Segundo o presidente da Petrobras, Pedro Parente, "de maneira nenhuma o objetivo seria o governo pedir qualquer mudança na política de preços da Petrobras"; Parente disse que os reajustes estão relacionados aos preços internacionais e ao câmbio; governo Temer sofre pressão de caminhoneiros por causa de reajustes nos preços de derivados de petróleo; desde julho do ano passado,  Petrobras reajustou o preço do óleo diesel em suas refinarias 121 vezes, de acordo com o Centro Brasileiro de Infraestrutura
Segundo o presidente da Petrobras, Pedro Parente, "de maneira nenhuma o objetivo seria o governo pedir qualquer mudança na política de preços da Petrobras"; Parente disse que os reajustes estão relacionados aos preços internacionais e ao câmbio; governo Temer sofre pressão de caminhoneiros por causa de reajustes nos preços de derivados de petróleo; desde julho do ano passado,  Petrobras reajustou o preço do óleo diesel em suas refinarias 121 vezes, de acordo com o Centro Brasileiro de Infraestrutura (Foto: Leonardo Lucena)

247, com Agência Brasil - O governo nunca considerou mudar a política da Petrobras de reajuste de preços dos combustíveis, afirmou nesta terça-feira (22) o presidente da Petrobras, Pedro Parente, ao sair de reunião com os ministros da Fazenda, Eduardo Guardia, e de Minas Energia, Moreira Franco, hoje (22), em Brasília, no Ministério da Fazenda.

“Fui convidado para a reunião. Na abertura da reunião, foi logo esclarecido que de maneira nenhuma o objetivo seria o governo pedir qualquer mudança na política de preços da Petrobras”, disse, esclarecendo que os reajustes estão relacionados aos preços internacionais e ao câmbio.

Nesta segunda-feira (21), caminhoneiros fizeram manifestações em 17 estados contra a alta recorde de combustíveis.

A Petrobras reajustou o preço do óleo diesel em suas refinarias 121 vezes, alta de 56,5%, desde o início da política de reajustes diários dos preços dos derivados de petróleo, em 3 de julho do ano passado. A estatística é do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). Em pouco mais de dez meses, o litro do produto passou de R$ 1,5006 para R$ 2,3488.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247