Petrobras dilapidada e empresas no vermelho

O loteamento de cargos levado a cabo pelo governo do PT nas estatais, notadamente na Petrobras, e a má condução da política econômica por Dilma e sua equipe são responsáveis pelos resultados desastrosos das empresas brasileiras

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Como se não bastasse a queda de 36% registrada em 2012 em relação ao ano anterior, no pior resultado da empresa desde 2004, a Petrobras volta à ordem do dia com mais notícias negativas que revelam a que ponto chegou a dilapidação de seu patrimônio durante os governos do PT. Segundo reportagem da revista “Época”, a estatal vem promovendo um verdadeiro “feirão” no exterior, com a venda de refinarias, poços de petróleo, postos de combustível e participações em empresas, com o objetivo de sair do vermelho.

Na Argentina, a companhia vendeu 50% das ações que detinha na Pesa, a estatal daquele país, para o grupo Indalo, cujo dono é um dos principais apoiadores da presidente Cristina Kirchner. A empresa se tornará dona de 33% da Pesa e comprará todas as refinarias, distribuidoras e unidades operadas pela Petrobras por US$ 238 milhões. Em 2002, a estatal brasileira comprou a participação na Pesa por US$ 1,1 bilhão e assumiu uma dívida de mais de US$ 2 bilhões para ficar com 58% da companhia. Após investir US$ 2,1 bilhões até 2009, a Petrobras passou a ser dona de 67% da Pesa.

Ainda vivendo uma situação de completo descalabro por conta dos efeitos da gestão temerária de José Sérgio Gabrielli, homem da confiança do ex-presidente Lula, a Petrobras não tem dinheiro em caixa e agora vende seu patrimônio abaixo do preço de mercado para tentar sair do buraco em que se meteu graças à irresponsabilidade e ao populismo desenfreado dos governos petistas. Tanto é assim que a atual chefe da estatal, Maria das Graças Foster, já admitiu publicamente que 2013 seria ainda mais complicado que 2012 para a Petrobras, que só no ano passado sofreu um tombo de US$ 4,33 bilhões em seu valor de mercado.

Na esteira da penúria enfrentada por uma das empresas mais importantes do Brasil, a incompetência administrativa do PT também atinge outras companhias estatais, como a Eletrobras, que anunciou na última semana o maior prejuízo de sua história: R$ 10,49 bilhões no quarto trimestre de 2012 e R$ 6,9 bilhões no acumulado do ano passado. Trata-se do pior resultado já verificado entre todas as empresas de capital aberto em qualquer período trimestral, de acordo com levantamento da consultoria Economática.

O mesmo estudo revela um cenário desolador para as companhias brasileiras de capital aberto de forma geral. As 76 empresas que reportaram prejuízos no último trimestre de 2012 perderam R$ 25 bilhões, três vezes mais que no período de outubro a dezembro de 2011. Entre as companhias mais importantes afetadas pelas graves dificuldades econômicas do país, aparecem a Vale, que perdeu R$ 5,6 bilhões no quarto trimestre, e a Gol, com prejuízo de R$ 447 milhões no período.

O loteamento de cargos levado a cabo pelo governo do PT nas estatais, notadamente na Petrobras, e a má condução da política econômica por Dilma e sua equipe são responsáveis pelos resultados desastrosos das empresas brasileiras. A realidade vem mostrando os efeitos deletérios para a economia do país do populismo adotado desde Lula e dos equívocos da gestão petista. Infelizmente, quem paga caro por tamanha incompetência são as companhias nacionais.


Roberto Freire é deputado federal por São Paulo e presidente nacional do PPS

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email