Petrobrás suspende negociação e petroleiros retomam greve a partir desta sexta-feira

Estão previstas paralisações na Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Amazonas, Pernambuco e São Paulo. Outros sete Sindipetros estão realizando assembleias para decidirem se irão aderir ao movimento

Petroleiros farão greve contra entreguismo de Jair Bolsonaro
Petroleiros farão greve contra entreguismo de Jair Bolsonaro (Foto: Sindpetro/BA | Saulo Cruz/MME)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Petroleiros de diversos estados retomarão, a partir da meia noite desta sexta-feira, a greve que havia sido interrompida após a Petrobrás anunciar a reabertura de um canal de negociação com a categoria. 

De acordo com o Sindipetro, estão previstas paralisações na Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Amazonas, Pernambuco e São Paulo (Mauá e Campinas). Os sete Sindipetros restantes estão realizando assembleias para decidirem se irão aderir ao movimento.

A decisão pela greve aconteceu após a direção da estatal encerrar o diálogo com os petroleiros . Em nota, a diretoria do Sindipetro Bahia ressaltou “a frustração da boa fé da entidade sindical que suspendeu o início da greve do dia 18/02, para negociar” e lamentou o término das tratativas. 

Entre as principais reivindicações da categoria estão a implementação de uma política de combate ao assédio moral nas unidades da Petrobrás;  fim das dobras de turno e das prorrogações de jornada; revisão do efetivo mínimo do plano de O&M (Organização e Método) em diversos setores da estatal, implantação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) específico da jornada de 12 (doze) horas diárias.

A categoria também questiona a venda da Refinaria Landulpho Alves, na Bahia, para o fundo Árabe Mubadala e pede que a companhia  discuta o cronograma de transição da operação pela Petrobras, além de cobrar a garantia da manutenção dos postos de próprios e terceirizados. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email