Pfizer compra fabricante do Botox por US$ 160 bi

Fabricante do medicamento Viagra fechou acordo para comprar a Allergan, fabricante do Botox; transação está avaliada em cerca de US$ 160 bilhões e pode criar a maior farmacêutica do mundo em vendas; operação, aprovada pelos conselhos administrativos dos dois grupos, prevê que as empresas fiquem agrupadas sob a identidade jurídica da Allergan e permitirá que a Pfizer transfira sua sede legal para a Irlanda em uma chamada "inversão", o que deve reduzir o volume de pagamentos de tributos

Fabricante do medicamento Viagra fechou acordo para comprar a Allergan, fabricante do Botox; transação está avaliada em cerca de US$ 160 bilhões e pode criar a maior farmacêutica do mundo em vendas; operação, aprovada pelos conselhos administrativos dos dois grupos, prevê que as empresas fiquem agrupadas sob a identidade jurídica da Allergan e permitirá que a Pfizer transfira sua sede legal para a Irlanda em uma chamada "inversão", o que deve reduzir o volume de pagamentos de tributos
Fabricante do medicamento Viagra fechou acordo para comprar a Allergan, fabricante do Botox; transação está avaliada em cerca de US$ 160 bilhões e pode criar a maior farmacêutica do mundo em vendas; operação, aprovada pelos conselhos administrativos dos dois grupos, prevê que as empresas fiquem agrupadas sob a identidade jurídica da Allergan e permitirá que a Pfizer transfira sua sede legal para a Irlanda em uma chamada "inversão", o que deve reduzir o volume de pagamentos de tributos (Foto: Aquiles Lins)

247 - A Pfizer, empresa que fabricante o medicamento Viagra, contra disfunção erétil, fechou acordo para comprar a Allergan, fabricante do Botox. Segundo o "Wall Street Journal", a transação está avaliada em cerca de US$ 160 bilhões e pode criar a maior farmacêutica do mundo em vendas.

A operação, aprovada pelos conselhos administrativos dos dois grupos, prevê que as empresas fiquem agrupadas sob a identidade jurídica da Allergan, que será a matriz depois de a Pfizer ser rebatizada, segundo informações da France Presse. O negócio também permitirá que a Pfizer transfira sua sede legal para a Irlanda em uma chamada "inversão", o que deve reduzir o volume de pagamentos de tributos.

O presidente-executivo da Pfizer, Ian Read, de 62 anos, será o presidente-executivo da empresa combinada, com o presidente-executivo da Allergan, Brent Saunders, de 45 anos, trabalhando em uma função sênior e focado em operações e na integração.

Abaixo, reportagem da Reuters a respeito:

Pfizer comprará Allergan em acordo de US$160 bi

(Reuters) - A farmacêutica Pfizer, fabricante do Viagra e do Lipitor, fechou acordo para comprar a fabricante do Botox, Allergan, em transação avaliada em cerca de 160 bilhões de dólares e orquestrada para reduzir os volumes de impostos pagos pela companhia norte-americana, que vai transferir sua sede para a Irlanda.

A união das empresas, que vai criar a maior companhia farmacêutica do mundo, vai adiar para o final de 2018 a decisão da Pfizer de se dividir em duas, afirmou a empresa.

Investidores vinham esperando que a Pfizer vendesse sua área de genéricos até 2017 para se focar em medicamentos de marca vendidos sob receita, uma decisão que vai ser adiada diante do tempo necessário para a integração da Allergan na empresa.

O presidente-executivo da Pfizer, Ian Read, vai seguir no cargo na nova empresa, enquanto o presidente da Allergan, Brent Saunders, será vice-presidente de operações.

O acordo avalia as ações da Allergan em 363,63 dólares cada, um prêmio de cerca de 16 por cento sobre o preço de fechamento na sexta-feira.

A Pfizer, com sede atualmente em Nova York, e a Allergan, sediada na Irlanda, disseram que os acionistas da Allergan receberão 11,3 ações da companhia combinada por cada papel detido.

Os acionistas da Pfizer terão a opção de receber uma ação da companhia combinada para cada papel em sua posse ou receber em dinheiro, desde que o total em espécie agregado a ser pago não seja menos de 6 bilhões de dólares ou mais de 12 bilhões de dólares.

Apesar da transação ser estruturada como se a Allergan estivesse comprando a Pfizer, a Pfizer vai reter o controle da companhia. Os negócios da Pfizer e da Allergan serão combinados sob a Allergan Plc, que será rebatizada como Pfizer Plc.

O aspecto tributário do negócio é visto como um dos principais motivos para a união. O nível de tributação dos Estados Unidos sobre empresas, de 35 por cento, está entre os maiores do mundo, e se compara com o patamar de 12,5 por cento da Irlanda.

Com o fechamento do negócio, previsto para o segundo semestre de 2016, as empresas disseram que a companhia combinada deverá manter o domicílio legal da Allergan na Irlanda.

O Tesouro dos Estados Unidos, preocupado com a perda de receitas provenientes de tributos, tem tomado medidas para coibir acordos de inversão tributária, mas especialistas disseram que as investidas farão pouco para evitar que a Pfizer altere seu domicílio fiscal.

(Por Ransdell Pierson em Nova York e Ankur Banerjee em Bangalore, Índia)

 

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247