Presidente do Banco do Brasil volta a defender privatização

"Daria agilidade", afirma Rubem Novaes, que falou em pulverizar as ações no mercado financeiro

Presidente do BB diz que pedido de Bolsonaro para reduzir juros era brincadeira
Presidente do BB diz que pedido de Bolsonaro para reduzir juros era brincadeira (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, defendeu a privatização da instituição financeira. "A privatização do Banco do Brasil não deverá ocorrer com a venda da instituição a um grande concorrente nacional ou estrangeiro, e sim pela pulverização de seu capital. O governo planeja vender parte das ações que se encontram hoje em seu poder, e ficar com menos de 50%. Com isso, o banco deixaria de ser estatal, mas preservaria uma participação grande da União em seu capital", informa a jornalista Lu Aiko Otta, do Valor Econômico.

A privatização do BB é um projeto do ministro da Economia, Paulo Guedes, e do próprio Novaes. Na reunião ministerial do dia 22 de abril, o ministro afirmou ser necessário vender logo a “porra” do banco. Jair Bolsonaro, porém, deixou claro que a operação não será tratada no atual mandato. Disse que é um tema para 2023.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247