Prévia do PIB tem retração após 2 meses de alta

Após dois meses seguidos de crescimento, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) registrou queda de 0,38% em agosto; na comparação com agosto de 2016, houve crescimento de 1,64% (sem ajuste para o período); em 12 meses encerrados em agosto, o indicador tem retração de 1,08%

A indústria do Paraná fechou o primeiro semestre com alta de 2,5% na produção, em comparação com o mesmo período do ano passado. Fábrica da Renault em São José dos Pinhais. Foto: Rodolfo Buhrer
A indústria do Paraná fechou o primeiro semestre com alta de 2,5% na produção, em comparação com o mesmo período do ano passado. Fábrica da Renault em São José dos Pinhais. Foto: Rodolfo Buhrer (Foto: Gisele Federicce)

Kelly Oliveira - Repórter da Agência Brasil

Após dois meses seguidos de crescimento, a atividade econômica registrou queda em agosto. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) teve queda 0,38%, em agosto, segundo dados divulgados hoje (18).

Na comparação com agosto de 2016, houve crescimento de 1,64% (sem ajuste para o período). Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador tem retração de 1,08%. No ano, até agosto, houve crescimento de 0,31%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic. O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Conheça a TV 247

Mais de Economia

Ao vivo na TV 247 Youtube 247