Privatização de subsidiárias da Petrobrás trará mais prejuízos que benefícios, diz Aepet

Em meio a onda de privatizações anunciada pelo governo Jair Bolsonaro, a Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet) ressalta que entregar terminais, dutos e a malha de distibruição da estatal às mãos da iniciativa privada resultará em mais prejuízos que benefícios; para a Aepet, "a privatização dos ativos de abastecimento e distribuição que pode auferir recursos no curto prazo compromete definitivamente os resultados futuros da Nação e da Petrobrás e nos expõe, os brasileiros, a riscos desnecessários"

Privatização de subsidiárias da Petrobrás trará mais prejuízos que benefícios, diz Aepet
Privatização de subsidiárias da Petrobrás trará mais prejuízos que benefícios, diz Aepet (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

247 - Em meio a onda de privatizações anunciada pelo governo Jair Bolsonaro, a Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet) ressalta que entregar terminais, dutos e a malha de distibruição da estatal às mãos da iniciativa privada resultará em mais prejuízos que benefícios. "Avaliar o posicionamento de uma companhia estatal de petróleo e energia integrada de maneira enviesada pelo viés ideológico, ao ignorar seu papel para o desenvolvimento soberano e a segurança energética de um país é postura inconsequente. Assim se pode implicar na dependência externa de combustíveis, gerar insegurança para o investimento produtivo e deteriorar a cadeia de valor do setor, com comprometimento do progresso econômico e do bem-estar social", destaca a Aepet em um artigo técnico publicado em seu site.

Segundo a Aepet, uma empresa integrada de petróleo e energia "assegura a resiliência empresarial necessária para esta indústria que é submetida à volatilidade do preço do petróleo, fixado em mercados financeiros internacionais e, em especial no caso brasileiro, à volatilidade do valor relativo da moeda nacional".

A entidade ressalta que apesar da queda do preço do petróleo no mercado internacional entre 2017 e 2017 ter derrubado a lucratividade do setor de exploração e produção "os lucros extraordinários do refino, transporte e comercialização garantiram a resiliência das petroleiras integradas".

"A privatização de refinarias, terminais, dutos e distribuidora traz prejuízos muito mais graves à resiliência e sobrevivência da Petrobrás, na conjuntura de preços relativamente moderados de petróleo, do que presumíveis benefícios pela redução dos gastos com juros decorrentes da antecipação da redução da sua dívida", ressalta o artigo.

"As refinarias, dutos, terminais e a distribuidora da Petrobrás são indispensáveis para garantir bons resultados empresariais diante da inevitável variação dos preços do petróleo e da taxa de câmbio. No caso da atual direção da Petrobrás privatizar refinarias e a infraestrutura do abastecimento haverá grave redução na capacidade de geração de caixa e de realização de investimentos da companhia", destaca o texto.

A Aepet observa, ainda, que "entregar refinarias ao setor privado irá enfraquecer a Petrobrás, em um movimento na contramão da indústria, em um contexto onde as empresas internacionais de petróleo (IOC) retomaram os investimentos no parque de refino mundial".
"A privatização dos ativos de abastecimento e distribuição que pode auferir recursos no curto prazo compromete definitivamente os resultados futuros da Nação e da Petrobrás e nos expõe, os brasileiros, a riscos desnecessários", afirma.

Leia a íntegra do artigo.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247