Promessas a Dilma, demissão aos funcionários

Após audiência com a presidente Dilma Rouseff, o presidente do banco Santander, Emilio Botín, anuncia R$ 5 bilhões para financiar obras no Brasil. Mas, depois das cerca de 3 mil demissões realizadas pelo banco durante o ano passado no Brasil, Botín ainda tem de se entender com sindicatos e com o Ministério do Trabalho

Promessas a Dilma, demissão aos funcionários
Promessas a Dilma, demissão aos funcionários
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Nas contas dos sindicalistas do setor bancário, o banco Santander demitiu ao menos 3 mil funcionário ao longo do ano passado. "Em 2012, o Santander adotou outra o enxugamento da folha e passou a diminuir o numero dos postos de trabalho. E tivemos notícias de que seriam demitidos 5 mil companheiros só no Santander", reclama, por exemplo, o vice-presidente do sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, que levou o caso ao Ministério do Trabalho (leia mais).

Mesmo diante da evidente dificuldade para equilibrar as contas, o Santander vai investir R$ 3 bilhões no Brasil em 2013, além de oferecer R$ 5 bilhões para financiamento de projetos de infraestrutura e ampliar a carteira de crédito entre 15% e 20% em relação a 2012. Pelo menos são os números apresentados nesta terça-feira pelo presidente mundial do grupo, Emilio Botín, após encontro com a presidente Dilma Rousseff.

Os R$ 3 bilhões de investimentos incluem ampliação do número de escritórios e agências no país, de terminais de autoatendimento, além da construção de um centro de dados do grupo espanhol em Campinas, que deve ser inaugurado até 2014.

Segundo Botín, o Santander terá R$ 5 bilhões para financiamento de grandes projetos de infraestrutura, como portos, aeroportos e rodovias. A careira de crédito do banco para clientes do Brasil começa o ano com R$ 250 bilhões à disposição e deverá ter crescimento de 15% a 20%, em relação a 2012, segundo o executivo espanhol.

Botín disse que conversou com a presidenta Dilma sobre a situação econômica da Espanha e da Europa, que, segundo ele, está "bem melhor" que em junho de 2012, quando se encontraram pela última vez. Mais cedo, antes do encontro, Botín disse que está otimista com a economia brasileira e que espera crescimento de 3% para o Brasil em 2013 (leia mais).

Com Agência Brasil

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247