Quebradas, empreiteiras brasileiras colocam tudo à venda

Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, em dificuldades financeiras após a Lava Jato, se desfazem de ativos importantes e buscam compradores para negócios como o estaleiro EAS e as empresas Loma Negra e São Lourenço; a Andrade pretende ser só construtora daqui em diante, enquanto a Camargo quer se tornar holding de investimentos

Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, em dificuldades financeiras após a Lava Jato, se desfazem de ativos importantes e buscam compradores para negócios como o estaleiro EAS e as empresas Loma Negra e São Lourenço; a Andrade pretende ser só construtora daqui em diante, enquanto a Camargo quer se tornar holding de investimentos
Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa, em dificuldades financeiras após a Lava Jato, se desfazem de ativos importantes e buscam compradores para negócios como o estaleiro EAS e as empresas Loma Negra e São Lourenço; a Andrade pretende ser só construtora daqui em diante, enquanto a Camargo quer se tornar holding de investimentos (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Deixando a Operação Lava Jato com dívidas, demissões e obras paralisadas, as empreiteiras Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez têm colocado ativos importantes à venda nos últimos meses, aponta reportagem do Estado de S.Paulo neste domingo 18.

As empresas, acusadas de participar do esquema de corrupção na Petrobras, buscam compradores para negócios como o estaleiro EAS (Atlântico Sul) e as empresas Loma Negra (cimenteira) e São Lourenço (saneamento).

A Andrade pretende ser só construtora daqui em diante, enquanto a Camargo quer se tornar holding de investimentos. Há ainda na lista de vendas hidrelétricas e estádios.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247