Tensões entre A. Saudita e Irã dificultam acordo sobre produção de petróleo

Cerca de 18 produtores, incluindo a Rússia, haviam planejado se reunir na capital do Catar, Doha, na manhã de domingo e rapidamente aprovar um acordo para congelar a produção nos níveis de janeiro até outubro de 2016; mas o encontro foi postergado após a Arábia Saudita, na prática o líder da organização, dizer aos participantes que quer que todos os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo participem do congelamento, de acordo com fontes da Opep

Operário checa amostra de petróleo na plataforma Cidade Angra dos Reis, no campo de Lula, a cerca de 300 km da costa do Rio de Janeiro. A Petrobras vai aumentar a produção neste ano com a operação de projetos atrasados e a entrada de plataformas previstas
Operário checa amostra de petróleo na plataforma Cidade Angra dos Reis, no campo de Lula, a cerca de 300 km da costa do Rio de Janeiro. A Petrobras vai aumentar a produção neste ano com a operação de projetos atrasados e a entrada de plataformas previstas (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Rania El Gamal e Reem Shamseddine

DOHA (Reuters) - O aumento nas tensões entre os arquirivais Arábia Saudita e Irã pareceu arruinar neste domingo aquilo que poderia ser o primeiro acordo vinculante em quinze anos sobre produção de petróleo entre países membros e não membros da Opep.

Cerca de 18 produtores, incluindo a Rússia, haviam planejado se reunir na capital do Catar, Doha, na manhã de domingo e rapidamente aprovar um acordo para congelar a produção nos níveis de janeiro até outubro de 2016.

Mas o encontro foi postergado após a Arábia Saudita, na prática o líder da organização, dizer aos participantes que quer que todos os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo participem do congelamento, de acordo com fontes da Opep.

Riad havia insistido antes em excluir o Irã das conversas porque Teerã havia se recusado a congelar a produção, buscando recuperar fatia de mercado após a suspensão das sanções ocidentais contra o país em janeiro.

Com o acordo enfrentando problemas, ministros do Petróleo em Doha reuniram-se com o emir do Catar, o sheik Tamim bin Hamad al-Thani -- que foi instrumental em promover a estabilidade da produção nos últimos meses.

Mas um novo acordo preliminar visto por fontes depois disso não continha nenhum dos pontos vinculantes das versões anteriores. Os ministros devem retomar as conversas em breve, de acordo com fontes.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247