Neymar se vitimiza após apoio a Bolsonaro e se diz "atacado"

Segundo o Estadão, Neymar recorreu a Bolsonaro em 2019 para reclamar de uma dívida milionária com a Receita Federal, que ainda não foi quitada

www.brasil247.com - Neymar participa do aquecimento antes do jogo contra Gana 23/09/2022
Neymar participa do aquecimento antes do jogo contra Gana 23/09/2022 (Foto: REUTERS/Benoit Tessier)


247 - Após declarar nesta quinta-feira (29) apoio à candidatura de Jair Bolsonaro (PL), o jogador da Seleção Brasileira e do Paris Saint-Germain (PSG) se vitimizou no Twitter, se dizendo "atacao".

"Falam em democracia e um montão de coisa, mas quando alguém tem uma opinião diferente é atacado pelas próprias pessoas que falam em democracia. Vai entender", escreveu.

Segundo reportagem do Estado de S. Paulo, Neymar recorreu a Bolsonaro em 2019, por meio de seu pai, para reclamar de uma dívida milionária com a Receita Federal. "O imbróglio ainda não foi resolvido e a dívida, de cerca de R$ 8 milhões, está sendo questionada na Justiça. (...) Em abril de 2019, o empresário Neymar da Silva Santos, pai do atacante, foi recebido pelo presidente Jair Bolsonaro  para 'prestar esclarecimentos' sobre processo contra o jogador que tramitava no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). Na época, Bolsonaro encaminhou o pai de Neymar ao ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao então secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, por se tratar de um tema 'de natureza técnica'".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247