ACM Neto minimiza ato que parou Salvador: ‘meia dúzia de pessoas’

O prefeito ACM Neto afirmou nesta sexta-feira que reconhece o livre direito à manifestação e o respeito aos movimentos populares, mas ponderou que "não é razoável que uma ação partidária paralise a cidade e prejudique a vida de milhares de pessoas"; "O que estamos presenciando hoje é meia dúzia de pessoas que estão transformando a cidade em um caos. Não é razoável que a população pague um preço alto por um movimento estritamente partidário", afirmou o prefeito; Salvador é mais uma cidade que parou nesta sexta em meio aos protestos contra a 'PEC dos gastos', por meio da qual Michel Temer pretende limitar pelos próximos 20 anos os investimentos do governo em áreas como saúde e educação

O prefeito ACM Neto afirmou nesta sexta-feira que reconhece o livre direito à manifestação e o respeito aos movimentos populares, mas ponderou que "não é razoável que uma ação partidária paralise a cidade e prejudique a vida de milhares de pessoas"; "O que estamos presenciando hoje é meia dúzia de pessoas que estão transformando a cidade em um caos. Não é razoável que a população pague um preço alto por um movimento estritamente partidário", afirmou o prefeito; Salvador é mais uma cidade que parou nesta sexta em meio aos protestos contra a 'PEC dos gastos', por meio da qual Michel Temer pretende limitar pelos próximos 20 anos os investimentos do governo em áreas como saúde e educação
O prefeito ACM Neto afirmou nesta sexta-feira que reconhece o livre direito à manifestação e o respeito aos movimentos populares, mas ponderou que "não é razoável que uma ação partidária paralise a cidade e prejudique a vida de milhares de pessoas"; "O que estamos presenciando hoje é meia dúzia de pessoas que estão transformando a cidade em um caos. Não é razoável que a população pague um preço alto por um movimento estritamente partidário", afirmou o prefeito; Salvador é mais uma cidade que parou nesta sexta em meio aos protestos contra a 'PEC dos gastos', por meio da qual Michel Temer pretende limitar pelos próximos 20 anos os investimentos do governo em áreas como saúde e educação (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O prefeito ACM Neto (DEM) afirmou nesta sexta-feira (11) que reconhece o livre direito à manifestação e o respeito aos movimentos populares, mas ponderou que "não é razoável que uma ação partidária paralise a cidade e prejudique a vida de milhares de pessoas".

Referindo-se às manifestações contra a 'PEC dos gastos', por meio da qual Michel Temer pretende limitar pelos próximos 20 anos os investimentos do governo em áreas como saúde e educação, ACM Neto lembrou que o "espírito democrático envolve o respeito ao direito de todos".

As manifestações da manhã desta sexta interromperam o trânsito em diversos pontos de Salvador.

"O que estamos presenciando hoje é meia dúzia de pessoas que estão transformando a cidade em um caos. Não é razoável que a população pague um preço alto por um movimento estritamente partidário", afirmou o prefeito.

ACM Neto disse ainda que esses movimentos prejudicaram serviços essenciais da prefeitura, como o Samu 192.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247