Aécio pediu R$ 1 milhão à Odebrecht para Agripino Maia, o Gripado

Claudio Melo Filho, o diretor da Odebrecht em Brasília que decidiu implodir Michel Temer e seus principais aliados, como Eliseu Padilha e Romero Jucá, também citou o principal articulador do golpe contra a democracia brasileira, que foi o senador Aécio Neves (PSDB-MG); segundo Melo Filho, o presidente nacional do PSDB pediu à Odebrecht que desse R$ 1 milhão em ajuda financeira ao senador Agripino Maia (DEM-RN) como contrapartida por seu apoio na eleição presidencial de 2014; a Odebrecht também diz ter pago despesas pessoais de Aécio por meio de seu marquteiro; leia a íntegra da delação de Melo Filho

Claudio Melo Filho, o diretor da Odebrecht em Brasília que decidiu implodir Michel Temer e seus principais aliados, como Eliseu Padilha e Romero Jucá, também citou o principal articulador do golpe contra a democracia brasileira, que foi o senador Aécio Neves (PSDB-MG); segundo Melo Filho, o presidente nacional do PSDB pediu à Odebrecht que desse R$ 1 milhão em ajuda financeira ao senador Agripino Maia (DEM-RN) como contrapartida por seu apoio na eleição presidencial de 2014; a Odebrecht também diz ter pago despesas pessoais de Aécio por meio de seu marquteiro; leia a íntegra da delação de Melo Filho
Claudio Melo Filho, o diretor da Odebrecht em Brasília que decidiu implodir Michel Temer e seus principais aliados, como Eliseu Padilha e Romero Jucá, também citou o principal articulador do golpe contra a democracia brasileira, que foi o senador Aécio Neves (PSDB-MG); segundo Melo Filho, o presidente nacional do PSDB pediu à Odebrecht que desse R$ 1 milhão em ajuda financeira ao senador Agripino Maia (DEM-RN) como contrapartida por seu apoio na eleição presidencial de 2014; a Odebrecht também diz ter pago despesas pessoais de Aécio por meio de seu marquteiro; leia a íntegra da delação de Melo Filho (Foto: Leonardo Attuch)

Minas 247 – O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que articulou o golpe contra a democracia brasileira depois de perder as eleições presidenciais de 2014, também está na delação premiada de Claudio Melo Filho, o diretor da Odebrecht em Brasília que decidiu implodir Michel Temer e seus principais aliados, como Eliseu Padilha e Romero Jucá (saiba mais aqui).

Segundo Melo Filho, o presidente nacional do PSDB pediu à Odebrecht que desse R$ 1 milhão em ajuda financeira ao senador Agripino Maia (DEM-RN) como contrapartida por seu apoio na eleição presidencial de 2014.

Esta, no entanto, não é a acusação mais grave. A Odebrecht também diz ter pago despesas pessoais de Aécio por meio de seu marquteiro Paulo Vasconcellos, que seria seu caixa informal (leia aqui).

Clique aqui e acesse o documento entregue ao MPF sobre a delação de Cláudio Filho.

Confira, ainda, o momento em que Aécio é delatado pela primeira vez na Lava Jato:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247