AL registra 139 casos suspeitos de microcefalia

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revelou que já foram registrados 139 casos suspeitos de microcefalia no estado, sendo 133 em recém-nascidos e 6 intrauterinos; ocorrências estão concentradas em Maceió (46), Santana do Ipanema (35), Palmeira dos Índios (16), Penedo (9), Arapiraca (12), Delmiro Gouveia (5), União dos Palmares (4), São Miguel dos Campos (3), Murici (1), Maragogi (1) e Coruripe (1); já os 6 casos intrauterinos foram identificados em Girau do Ponciano (1), Canapi (1), Porto Calvo (2) e Arapiraca (2)

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revelou que já foram registrados 139 casos suspeitos de microcefalia no estado, sendo 133 em recém-nascidos e 6 intrauterinos; ocorrências estão concentradas em Maceió (46), Santana do Ipanema (35), Palmeira dos Índios (16), Penedo (9), Arapiraca (12), Delmiro Gouveia (5), União dos Palmares (4), São Miguel dos Campos (3), Murici (1), Maragogi (1) e Coruripe (1); já os 6 casos intrauterinos foram identificados em Girau do Ponciano (1), Canapi (1), Porto Calvo (2) e Arapiraca (2)
A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revelou que já foram registrados 139 casos suspeitos de microcefalia no estado, sendo 133 em recém-nascidos e 6 intrauterinos; ocorrências estão concentradas em Maceió (46), Santana do Ipanema (35), Palmeira dos Índios (16), Penedo (9), Arapiraca (12), Delmiro Gouveia (5), União dos Palmares (4), São Miguel dos Campos (3), Murici (1), Maragogi (1) e Coruripe (1); já os 6 casos intrauterinos foram identificados em Girau do Ponciano (1), Canapi (1), Porto Calvo (2) e Arapiraca (2) (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou, na tarde desta segunda-feira (4), que já foram registrados 139 casos suspeitos de microcefalia no estado, sendo 133 em recém-nascidos e 6 intrauterinos. Até o mês de dezembro, 129 casos haviam sido registrados em 49 municípios alagoanos.  Os dados atualizados são do Registro de Eventos de Saúde Pública referente às microcefalias (RESP-microcefalias) e das notificações recebidas pelo Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde de Alagoas (Cievs/AL).

Segundo os dados dos municípios onde foram registradas as ocorrências, os casos suspeitos de microcefalia concentram-se em Maceió (46), Santana do Ipanema (35), Palmeira dos Índios (16), Penedo (9), Arapiraca (12), Delmiro Gouveia (5), União dos Palmares (4), São Miguel dos Campos (3), Murici (1), Maragogi (1) e Coruripe (1). Já os 6 casos intrauterinos foram identificados em Girau do Ponciano (1), Canapi (1), Porto Calvo (2) e Arapiraca (2).

 A Sesau ressalta ainda, por meio de Nota Técnica enviada às cidades, que os exames de imagem para acompanhamento dos casos iniciaram em 17 de dezembro de 2015, de forma ordenada e com prévio agendamento da Sesau com os municípios de residência dos  casos. A tomografia computadorizada do crânio dos bebês está sendo realizada no Hospital Geral do Estado (HGE).

 A recomendação do Ministério da Saúde (MS) foi que, a partir do dia 19 de novembro de 2015, as ocorrências de microcefalia que atendessem à definição de caso fosse notificada de forma imediata às Secretarias Estaduais de Saúde. Os casos a serem notificados são os suspeitos durante a gestão e também os suspeitos de microcefalia no parto ou pós-parto. 

Nordeste 

A situação dos registros de casos de microcefalia na Região Nordeste, divulgada pelo Ministério da Saúde, coloca Alagoas na sexta posição em relação ao número de casos suspeitos. O maior quantitativo de notificações está nos estados de Pernambuco (1.153), Paraíba (476), Bahia (271), Rio Grande do Norte (154) e Sergipe (146).

Para a execução das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, foi instalada a Sala Nacional de Coordenação e Controle para o Enfrentamento à microcefalia. O objetivo é intensificar as ações de mobilização e combate ao mosquito Aedes aegypti. Também serão instaladas salas estaduais, que contarão com a presença de representantes do Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde, Educação, Segurança Pública, Assistência Social, Defesa Civil e Forças Armadas.

Orientação

O Ministério da Saúde recomenda que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros, além de se protegerem da exposição de mosquitos, mantendo portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

Também faz parte destas orientações o acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelo médico. O Ministério da Saúde reforça ainda a orientação de as gestantes não consumirem bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas, não utilizar medicamentos sem orientação médica e evitar contato com pessoas com febre ou infecções.

Com gazetaweb.com e assessoria

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247