Alagoas tem o 20º potencial de consumo

Alagoas manterá a 20ª posição entre os estados com maior potencial de consumo em 2013, ocupando a mesma colocação do ano passado, segundo levantamento da IPC Marketing Editora; o Estado deverá fechar esta temporada com um potencial de consumo de R$ 28,75 bilhões; no quesito potencial de consumo, apenas duas cidades de Alagoas (Maceió e Arapiraca) figuram na lista dos 500 maiores municípios brasileiros

Alagoas tem o 20º potencial de consumo
Alagoas tem o 20º potencial de consumo

AL247 – Alagoas manterá a 20ª posição entre os estados com maior potencial de consumo em 2013, ocupando a mesma colocação do ano passado, segundo levantamento da IPC Marketing Editora. O Estado deverá fechar esta temporada com um potencial de consumo de R$ 28,75 bilhões, enquanto que em 2012 o valor teria atingido os R$ 26,553 bilhões. No quesito potencial de consumo, apenas duas cidades de Alagoas (Maceió e Arapiraca) figuram na lista dos 500 maiores municípios brasileiros.

A capital Maceió continuará sendo o município com maior potencialidade quando está em jogo o consumo, cravando os R$ 13,163 bilhões, no 25 ° lugar. Conforme o balanço divulgado em 2012, prevendo o potencial de consumo neste mesmo ano, o município teria ficado na 23ª posição em uma lista de 500 cidades, mas com um potencial de R$ 12.852 bilhões.

Por sua vez, a cidade de Arapiraca manterá o seu posto de segunda maior em potencialidade de consumo no Estado de Alagoas, fechando 2013 com um potencial de R$ 2,061 bilhões, na 206ª colocação. No ano passado, o município teria assegurado a 209 ª posição, com um potencial de R$ 1,848 bilhão.

De acordo com o levantamento, o consumo dos brasileiros deve superar os R$ 3 trilhões em 2013, o equivalente a um crescimento de R$ 276 bilhões, aproximadamente em relação a 2012, sobretudo por conta da ascensão das classes C, D e E.

A previsão é de que o Sudeste, que representa 42% da população nacional, consuma 50,2%. Em seguida vem o Nordeste, com 27,8% da população brasileira, que consumirá 18,2% neste ano. Na terceira posição está o Sul (14,3% da população), que, segundo a estimativa, terá um consumo representando 16,9%. Por último, vem o Norte, região de maior extensão territorial e que obtém 8,5% da população. Ali, o consumo deverá ser o equivalente a 5,8%.

A população brasileira, que hoje é de 194 milhões, deverá chegar aos 195.610.214 até o final do ano, um aumento populacional de 0,84%. O número de mulheres (100.693.285) continuará sendo maior que o de homens (94.916.928). Em termos percentuais, a diferença é pequena. A população feminina fechará o ano com 51% e a masculina com 49% do total de habitantes que vivem no Brasil.

Segundo o levantamento, a população urbana representará 84,6%, com um consumo per capita anula de R$ 16.875,96, enquanto que em 2012 teria sido uma participação de 84,4%. Já a área rural terá um consumo de R$ 199,5 bilhões, uma participação de 6,6% na economia nacional, um consumo de R$ 6.737,46 por habitante. No ano passado, este percentual teria sido de 6,5% (R$ 176,6 bilhões).

A pesquisa mostrou que, de acordo com o balanço divulgado no começo de 2012, este mesmo ano registraria uma população urbana de 163.815.823 contra os 30.249.701 da rural, totalizando 194.065.524. Para 2013, a estimativa é da que o número de habitantes na zona urbana atinja os 165.996.761 e o da zona rural caia para 29.613.453.

De acordo com a IPC Marketing Editora, “o país passa por uma acentuada interiorização setorial, apesar do ganho de participação das capitais no ‘bolo’ da economia”. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247