Alckmin ignora pedidos de diálogo e publica decreto de reforma escolar

Diário Oficial de São Paulo publicou nesta terça-feira, 1º, o decreto do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que autoriza a transferência de professores para a implementação da reorganização escolar, que fechará 93 unidades de ensino em todo o estado e afetará 311 mil alunos; contrários às mudanças, estudantes continuam ocupando escolas, que já somam 205 unidades; nesta manhã, estudantes fizeram manifestação na zona sul de São Paulo, próximo da Ponte João Dias, na Avenida João Dias

Diário Oficial de São Paulo publicou nesta terça-feira, 1º, o decreto do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que autoriza a transferência de professores para a implementação da reorganização escolar, que fechará 93 unidades de ensino em todo o estado e afetará 311 mil alunos; contrários às mudanças, estudantes continuam ocupando escolas, que já somam 205 unidades; nesta manhã, estudantes fizeram manifestação na zona sul de São Paulo, próximo da Ponte João Dias, na Avenida João Dias
Diário Oficial de São Paulo publicou nesta terça-feira, 1º, o decreto do governador Geraldo Alckmin (PSDB) que autoriza a transferência de professores para a implementação da reorganização escolar, que fechará 93 unidades de ensino em todo o estado e afetará 311 mil alunos; contrários às mudanças, estudantes continuam ocupando escolas, que já somam 205 unidades; nesta manhã, estudantes fizeram manifestação na zona sul de São Paulo, próximo da Ponte João Dias, na Avenida João Dias (Foto: Aquiles Lins)

Fernanda Cruz, da Agência Brasil - O governo de São Paulo publicou hoje (1º) o decreto que autoriza a transferência de professores para a implementação da reorganização escolar, que fechará 93 unidades de ensino em todo o estado e afetará 311 mil alunos. O objetivo é separar as escolas por ciclos, entre os anos iniciais e finais do ensino fundamental e médio.

O decreto indica que as transferências ocorrem "nos casos em que as escolas da rede estadual deixarem de atender um ou mais segmentos ou quando passarem a atender novos segmentos". Contrários às mudanças, estudantes continuam ocupando escolas. São 205 unidades ocupadas, segundo estimativa do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp). A Secretaria Estadual da Educação calcula, pelo último balanço divulgado ontem (30), que são 194 escolas.

Segundo a Apeoesp, os estudantes que participam das ocupações vêm sendo alvos de ataques de grupos desconhecidos. Ontem (30), às 18h, na cidade de Osasco, um grupo entrou na Escola Coronel Antônio Paiva de Sampaio, furtou televisores e depredou salas de aula, de acordo com a Polícia Militar (PM). O caso foi registrado no 1º Distrito Policial do município.

Na zona leste, houve conflito entre alunos que estariam do lado de fora da Escola República do Suriname, reivindicando aula, e estudantes que ocupam o local, informou a PM, que foi acionada às 20h15 de ontem. A assessoria de imprensa da Apeoesp conta que a diretora foi à escola com a intenção de desocupá-la, mesmo com a decisão do Tribunal de Justiça que negou reintegrações de posse de unidades da capital.

Protestos de alunos

Estudantes que reivindicam a suspensão da reorganização escolar fizeram manifestação hoje na zona sul de São Paulo, próximo da Ponte João Dias, na Avenida João Dias. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego, o grupo ocupa duas faixas, no sentido centro.

Ontem, os manifestantes também prejudicaram o trânsito da cidade ao bloquear o cruzamento entre as avenidas Rebouças e Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247