Alckmin vai à Justiça para achar donos de perfis que o acusam no Twitter

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pediu na Justiça do Estado a quebra do sigilo de seis perfis no Twitter que o chamam de "corrupto" e "ladrão de merenda"; Alckmin quer ter acesso aos IPs, espécie de endereço virtual das máquinas onde foram feitas as postagens que considerou ofensivas, além de dados cadastrais, como nome e e-mail, dos seis usuários

São Paulo - O governador Geraldo Alckmin anunciou o adiamento da reorganização escolar, a coletiva foi realizada no Palácio dos Bandeirantes. (SECOM/ Gov.de SP)
São Paulo - O governador Geraldo Alckmin anunciou o adiamento da reorganização escolar, a coletiva foi realizada no Palácio dos Bandeirantes. (SECOM/ Gov.de SP) (Foto: Giuliana Miranda)

SP 247 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pediu na Justiça do Estado a quebra do sigilo de seis perfis no Twitter que o chamam de "corrupto" e "ladrão de merenda", diz reportagem da Folha de S.Paulo. Alckmin quer ter acesso aos IPs, espécie de endereço virtual das máquinas onde foram feitas as postagens que considerou ofensivas, além de dados cadastrais –nome e e-mail, por exemplo– dos seis usuários.

"O advogado do governador no caso é Anderson Pomini, que recentemente foi anunciado pelo prefeito eleito de São Paulo, João Doria, como o próximo secretário de Assuntos Jurídicos da capital.

Alckmin anexou ao processo cópias das mensagens que considerou ofensivas e contabilizou o número de vezes que um dos perfis se dirige a ele de forma pejorativa.

"A cada três postagens desse perfil, uma se refere ao autor [Alckmin], sempre negativamente, e, algumas vezes ultrapassando os limites do tolerável", argumenta o advogado do governador.

"Não restou alternativa, que não a propositura da presente (...), pois, sem as informações que se busca, não há como realizar a citação de cada um dos responsáveis para apuração de sua conduta pelo poder Judiciário", finaliza.

A maioria das postagens consideradas ofensivas pelo governador faz referência ao escândalo da merenda em São Paulo.

Na ação, o advogado de Alckmin pediu que o processo tramitasse em segredo de Justiça, o que foi negado pelo juiz que assumiu o caso.

O juiz Guilherme Ferreira da Cruz não concedeu o segredo de Justiça, mas determinou, em caráter liminar, que o Twitter entregue os dados dos seis perfis requisitados por Alckmin."

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247