Após atropelamento, médico que treinava ciclismo permanece estável em UTI

O médico Pedro Caldas se recupera bem após atropelamento sofrido enquanto treinava ciclismo na marginal da Rodovia TO-050 neste domingo (12) depois de passar por cirurgia e ter o cérebro estabilizado; segundo a polícia, a motorista estava embriagada após uma festa realizada em Palmas

O médico Pedro Caldas se recupera bem após atropelamento sofrido enquanto treinava ciclismo na marginal da Rodovia TO-050 neste domingo (12) depois de passar por cirurgia e ter o cérebro estabilizado; segundo a polícia, a motorista estava embriagada após uma festa realizada em Palmas
O médico Pedro Caldas se recupera bem após atropelamento sofrido enquanto treinava ciclismo na marginal da Rodovia TO-050 neste domingo (12) depois de passar por cirurgia e ter o cérebro estabilizado; segundo a polícia, a motorista estava embriagada após uma festa realizada em Palmas (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - O ginecologista Pedro Caldas, atropelado neste domingo (12) na marginal da rodovia TO-050, em Palmas, se recupera na UTI do Hospital Oswaldo Cruz. De acordo com informações de amigos próximos e colegas atletas, Caldas passou por cirurgia, já foi estabilizado, o cérebro está com uma boa oxigenação e a possibilidade de sequelas seria pequena. 

Caldas foi atropelado enquanto treinava ciclismo nas proximidades do Dertins, em Palmas, com um grupo de assessoria esportiva. O médico foi atingido por um veículo de passeio e jogado no para-brisas do carro. Outros ciclistas teriam presenciado o acidente. Moacir Naoyuk Ito, também médico, foi atingido no acidente mas sofreu escoriações leves.

Segundo informações da polícia, a motorista que conduzia o carro apresentava sinais de embriaguez e não apresentou carteira de habilitação. Ela estava com a pulseira de uma festa realizada durante a madrugada em Palmas. A motorista de 21 anos foi levada para a Central de Flagrantes da Polícia Civil onde pagou uma fiança de R$ 3 mil e foi liberada.

O atleta e ciclista Flavio Fregonesi emitiu nota na noite de domingo se posicionando sobre o acidente. Conforme o atleta, sua prima conduzia o carro que provocou o atropelamento dos médicos. “As informações dão conta que ela estava visivelmente embriagada. Em razão desse fato, quero registrar aqui, como ciclista, atleta e pessoa, que repudio a atitude dela e de qualquer pessoa que dirija após uso de bebidas alcoólicas. Sempre lutei e luto para que todos nós, ciclistas e atletas, sejamos respeitados. Quero muito que a família do Pedro e do Moacir saibam que estou orando para que eles se recuperem e em breve possam estar nadando, pedalando e correndo, sem traumas e sequelas que possam impedi-los de praticar o que tanto amamos, que é nosso esporte!”, afirmou Fregonesi.

Fregonesi ainda reforça que “gostaria muito que a responsável pelo acidente tenha a pena justa, embora reconheça que as leis brasileiras são falhas, mas a Justiça divina, não. Espero que cada pessoa que leia essa mensagem pense antes e desista de dirigir após ingerir bebida alcoólica, pois já sabemos o trágico resultado!”.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247