Atraso de verbas adia obras em postos de saúde

O prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), justificou o atraso de obras de reformas de postos de saúde pela demora do repasse de verbas por parte do Ministério da Saúde; são 30 unidades que estão no cronograma para serem reformadas; construções foram iniciadas em fevereiro do ano passado e apenas dez estão sendo finalizadas

O prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), justificou o atraso de obras de reformas de postos de saúde pela demora do repasse de verbas por parte do Ministério da Saúde; são 30 unidades que estão no cronograma para serem reformadas; construções foram iniciadas em fevereiro do ano passado e apenas dez estão sendo finalizadas
O prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), justificou o atraso de obras de reformas de postos de saúde pela demora do repasse de verbas por parte do Ministério da Saúde; são 30 unidades que estão no cronograma para serem reformadas; construções foram iniciadas em fevereiro do ano passado e apenas dez estão sendo finalizadas (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - Durante solenidade de reinauguração da Unidade de Saúde da Família (USF) Durval Cortez, no bairro do Prado, o prefeito de Maceió Rui Palmeira (PSDB) admitiu atraso em muitas reformas de postos de saúde do Município e alegou que isso só aconteceu pela demora no repasse da verba destinada para esta finalidade por parte do Ministério da Saúde. Por este motivo, algumas obras nem começaram.

Ao todo são 30 unidades que estão no cronograma para serem reformadas. As construções foram iniciadas em fevereiro do ano passado e, um ano após, o prefeito informa que dez estão finalizadas e prestes a ser entregues à sociedade. Outras só devem começar as obras quando a programação do repasse federal estiver normalizada. De acordo com ele, uma obra só está começando quando a outra acaba.

Pela explicação de Rui Palmeira, todas as reformas têm custeio dividido meio a meio entre o governo federal e a contrapartida do Município. No caso da Durval Cortez, a ampliação e reparos na estrutura custaram R$ 400 mil (sendo R$ 200 mil oriundos dos cofres da Prefeitura de Maceió e a outra metade proveniente do Ministério da Saúde). Após a reinauguração, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) prevê aumento de 30% na quantidade de atendimentos diários na referida unidade.

 “Não adianta começar todas as reformas de uma vez e não ter dinheiro para terminá-las. Quando terminamos uma, começamos a outra. Outro detalhe que merece ser levado em consideração é que a contrapartida do Município é muito alta”, explica o prefeito Rui Palmeira. Ele lembra que o próprio Ministério da Saúde esticou o prazo para a programação do repasse da verba. A prefeitura estima entregar todos os postos reformados até fevereiro de 2016.

Rui esclarece que o dinheiro federal somente será suficiente para ser empregado nas obras de 17 unidades de saúde da capital. As demais, segundo a assessoria de imprensa da secretaria, serão reformadas com recursos do Executivo. Algumas já estão em andamento.

Participaram da solenidade, entre outras autoridades, o vice-prefeito de Maceió, Marcelo Palmeira, e a secretária municipal de Saúde, Sylvana Medeiros.

Atendimento
Após ser reaberta, a unidade passa a contar com duas equipes do Programa de Saúde da Família (que atende pacientes das comunidades próximas) e uma equipe de demanda espontânea, com atendimento com clínico geral, ginecologista, pediatria e odontologia. De acordo com a assessoria da prefeitura, a unidade atendia uma média de 60 pacientes por dia.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247