Atuação de senador evita “explosão do vulcão” de Palmeira dos Índios

Uma negociação só pode prosperar se inexistir vencedores e vencidos, pois é uma questão que só pode ser resolvida com o estabelecimento do diálogo

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Usando uma figura de linguagem, a questão da demarcação de terras indígenas em Palmeira dos Índios estava quente como a larva vulcânica. Pequenos conflitos foram registrados, como se fossem pequenas erupções.

Nos últimos anos, e principalmente nas últimas semanas, o clima de animosidade só aumentou. Não estava distante a possibilidade de confronto armado. De um lado produtores rurais que há décadas e gerações tomaram conta das terras. Do outro, os verdadeiros donos, os descendentes indígenas, que ganharam na justiça o direito à demarcação.

Há que ser reconhecido, entretanto, que a atuação política e pacificadora do senador Fernando Collor (PTB-AL), em Brasília, reduziu a temperatura que estava a ponto de explodir, a tal ponto que, não seria surpresa, poderia se transformar num banho de sangue.

Ao chamar para participar da questão o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que virá a Alagoas, Collor evita uma ruptura, traz o Governo Federal para participar da questão, e abre uma janela para a possibilidade de entendimento, de uma solução que não seja totalmente negativa para um dos lados.

E é essa a consciência que produtores e a comunidade indígena devem ter: Uma negociação só pode prosperar se inexistir vencedores e vencidos, pois é uma questão que só pode ser resolvida com o estabelecimento do diálogo. Caso não ocorra e caso haja um vencedor, o vulcão pode explodir definitivamente.

Aí, só teremos lamentações. E perdedores.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email