Avenida Suburbana tem queda de 60% em mortes no trânsito

Caiu em 60% o número de mortes por acidentes de trânsito na Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como Avenida Suburbana, no primeiro semestre deste ano; índice é comparado com dados do mesmo período de 2015, e foi levantado pelo setor de Acidentologia e Estatística da Transalvador; com investimentos de R$ 29 milhões, os 14 km de via foram totalmente requalificados, com novo pavimento e passeios, além da maior ciclovia da cidade. A medida beneficiará 190 ônibus e cinco mil carros que circulam por hora na Suburbana; as intervenções para aumentar a fluidez e a segurança viária são apontadas como razão do avanço

Caiu em 60% o número de mortes por acidentes de trânsito na Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como Avenida Suburbana, no primeiro semestre deste ano; índice é comparado com dados do mesmo período de 2015, e foi levantado pelo setor de Acidentologia e Estatística da Transalvador; com investimentos de R$ 29 milhões, os 14 km de via foram totalmente requalificados, com novo pavimento e passeios, além da maior ciclovia da cidade. A medida beneficiará 190 ônibus e cinco mil carros que circulam por hora na Suburbana; as intervenções para aumentar a fluidez e a segurança viária são apontadas como razão do avanço
Caiu em 60% o número de mortes por acidentes de trânsito na Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como Avenida Suburbana, no primeiro semestre deste ano; índice é comparado com dados do mesmo período de 2015, e foi levantado pelo setor de Acidentologia e Estatística da Transalvador; com investimentos de R$ 29 milhões, os 14 km de via foram totalmente requalificados, com novo pavimento e passeios, além da maior ciclovia da cidade. A medida beneficiará 190 ônibus e cinco mil carros que circulam por hora na Suburbana; as intervenções para aumentar a fluidez e a segurança viária são apontadas como razão do avanço (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Caiu em 60% o número de mortes por acidentes de trânsito na Avenida Afrânio Peixoto, mais conhecida como Avenida Suburbana, no primeiro semestre deste ano. O índice é comparado com dados do mesmo período de 2015, e foi levantado pelo setor de Acidentologia e Estatística da Transalvador.

As intervenções da autarquia na avenida para aumentar a fluidez e a segurança viária, iniciadas há cerca de dez meses e entregues à população na semana passada, são apontadas como razão do avanço.

A via era considerada, até o ano passado, a mais perigosa da cidade, tendo contabilizadas 10 mortes nos seis primeiros meses, duas delas de pedestres. Em 2016, quatro pessoas morreram por acidentes de trânsito no local, uma delas a pé.

"Investimos em fiscalização eletrônica e em sinalização horizontal e vertical, refizemos toda a geometria viária, incluímos uma ciclovia segregada da principal e construímos 26 faixas elevadas para travessia mais segura", diz Fabrizzio Muller, superintendente da Transalvador.

O número geral de acidentes de trânsito também caiu no primeiro semestre. Em 2015, foram 556, contra 233 em 2016. Em consequência, o quantitativo de pessoas feridas foi reduzido, de 235 para 94.

Nova via

Com investimentos de R$ 29 milhões, os 14 km de via foram totalmente requalificados, com novo pavimento e passeios, além da maior ciclovia da cidade. A medida beneficiará 190 ônibus e cinco mil carros que circulam por hora na Av. Suburbana.

As intervenções na Suburbana melhoraram a mobilidade, solucionando problemas históricos. O Largo do Luso, em Plataforma, teve retornos transferidos para o trecho em frente ao Parque São Bartolomeu e no Posto Gameleira. Paripe foi beneficiada com a mudança da localização do ponto de ônibus e nova geometria da rotatória do bairro.

Ao longo da via, foram construídas baias para ônibus, novas rotatórias, retornos e houve mudanças no traçado de vias em locais como o Parque São Bartolomeu, Largo do Luso, Posto Gameleira, UPA de Escada, Bela Vista do Lobato, Baixa do Fiscal e Paripe.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247