Azeredo, pivô do mensalão tucano, pode ser preso este mês

Ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), apontado como elo central do chamado mensalão tucano e que já foi condenado a 20 anos de dez nesses de prisão em segunda instância pela Justiça de Minas, poderá ser preso ainda em abril, 12 anos após ter sido denunciado; Justiça marcou para o próximo dia 24 o julgamento dos embargos infringentes, os últimos recursos que podem ser impetrados pela defesa do tucano; segundo a PGR,  Azeredo teria desviado cerca de R$ 3,5 milhões de estatais mineiras em 1998 com objetivo de pagar despesas de sua campanha pela reeleição

deputado eduardo azeredo fala com jornalistas
deputado eduardo azeredo fala com jornalistas (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), apontado como elo central do chamado mensalão tucano e que já foi condenado a 20 anos de dez nesses de prisão em segunda instância pela Justiça de Minas, poderá ser preso ainda em abril, 12 anos após ter sido denunciado. A Justiça marcou para o próximo dia 24 o julgamento dos embargos infringentes, os últimos recursos que podem ser impetrados pela defesa do tucano.

A demora da Justiça em torno do processo de Azeredo no julgamento do caso acabou por beneficiar Azeredo em razão da prescrição dos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. O tucano faz 70 anos no dia 9 de setembro e, segundo a legislação, a pena é reduzida pela metade quando o réu alcança esta díade.

De acordo com a denúncia feita pela Procuradoria Geral da República (PGR) em 2005, Azeredo teria desviado cerca de R$ 3,5 milhões de estatais mineiras em 1998 com objetivo de pagar despesas de sua campanha pela reeleição ao Governo do Estado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247