Câmara muda secretariado para fortalecer alianças visando 2018

Acuado pela movimentação do senador Fernando Bezerra Coelho, que deixou o PSB e levou o seu grupo político para se filiar ao PMDB visando disputar o Governo do Estado nas eleições do próximo ano, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), apressou uma reforma no primeiro escalão da sua administração para fortalecer as alianças, espacialmente com o PDT, e tentar a reeleição em 2018

Vista geral do plenário da Câmara em Brasília 20/9/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Vista geral do plenário da Câmara em Brasília 20/9/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Paulo Emílio)

247 - Acuado pela movimentação do senador Fernando Bezerra Coelho, que deixou o PSB e levou o seu grupo político para se filiar ao PMDB visando disputar o Governo do Estado nas eleições do próximo ano, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), apressou uma reforma no primeiro escalão da sua administração para fortalecer as alianças e tentar a reeleição em 2018, especialmente com o PDT.

A maior mudança será na Casa Civil, que passará a ser comandada por Nilson Mota (PSB), que deixa a Secretaria de Agricultura para ficar no lugar de Antonio Figueira. Figueira passará a chefia a Assessoria Especial, que tem status de secretaria estadual. Na casa Civil, Mota terá a oportunidade de vitaminar uma eventual candidatura à Assembleia Legislativa, já que tratará diretamente com prefeitos e deputados fazendo a articulação política do Palácio do Campo das Princesas.

Outras mudanças envolvem José Neto que deixa a chefia da Assessoria Especial para ser o secretário-executivo da Casa Civil e Wellington Batista, ligado ao PDT, assumirá a pasta da Agricultura.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247