Cantareira tem pequena alteração após chuvas

Reservatório recuperou o armazenamento em 0,1 ponto percentual, passando de 12% para 12,1% de sua capacidade de operação, entre sábado e domingo; marca foi mantida nesta manhã, segundo monitoramento da Sabesp

A family of Capybaras swim past water level markers at Jaguari dam in Braganca Paulista, 100km (62 miles) from Sao Paulo February 20, 2014. The Jaguari dam is part of the Sao Paulo's Cantareira system water supply, which is drying due to drought-like cond
A family of Capybaras swim past water level markers at Jaguari dam in Braganca Paulista, 100km (62 miles) from Sao Paulo February 20, 2014. The Jaguari dam is part of the Sao Paulo's Cantareira system water supply, which is drying due to drought-like cond (Foto: Gisele Federicce)

Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

A chuva desse último final de semana fez com que o nível do Sistema Cantareira, o principal reservatório de abastecimento de água da região metropolitana de São Paulo, recuperasse o armazenamento em 0,1 ponto percentual, passando de 12% para 12,1% de sua capacidade de operação, entre sábado e domingo. Essa marca foi mantida na manhã de hoje (14), segundo o monitoramento diário da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Uma elevação não era registrada desde o último dia 22 de março, quando o nível havia subido de 14,5% para 14,6%. Para esta segunda-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) prevê mais chuvas no lado leste do estado de São Paulo, o que pode favorecer uma maior vazão para o Sistema Cantareira.

O volume acumulado de chuva em abril, conforme a Sabesp, está em 55,5 milímetros (mm). A média normal para todo o mês é 89,3 mm. Ainda que se mantenha a média regular, isso não será suficiente para repor a água perdida desde o começo do ano.

Ante essse quadro, a Sabesp tem feito apelo à população para que economize água. Na tentativa de garantir o abastecimento, a empresa ainda ampliou, na semana passada, para 31 cidades, a campanha que dá aos consumidores um bônus de 30% na tarifa em troca de uma redução de 20% no consumo.

Ainda na semana passada, a presidenta da Sabesp, Dilma Pena, declarou que não via risco de uma medida mais drástica como o rodízio. Ela manifestou a expectativa de uma solução por meio da captação da reserva técnica, também chamada de "volume morto" , ou seja, a retirada da água que fica abaixo da superfície atual de bombeamento. Essa ação deve ocorrer no próximo mês de maio.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247