Cardozo: críticas de Campos são "eleitoreiras"

Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu os ataques pelo ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, que taxou o governo federal de ser omisso no que diz respeito à segurança pública; "É uma crítica injusta, mais por razões eleitoreiras do que por convicção, porque ele sabe que não foi assim que aconteceu, inclusive quando ele era governador", disse; "Recentemente tivemos uma greve da polícia em Pernambuco e nós estivemos lá, com as Forças Armadas", acrescentou; segundo Campos, "o governo federal corre deste tema de segurança, se omite"

Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu os ataques pelo ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, que taxou o governo federal de ser omisso no que diz respeito à segurança pública; "É uma crítica injusta, mais por razões eleitoreiras do que por convicção, porque ele sabe que não foi assim que aconteceu, inclusive quando ele era governador", disse; "Recentemente tivemos uma greve da polícia em Pernambuco e nós estivemos lá, com as Forças Armadas", acrescentou; segundo Campos, "o governo federal corre deste tema de segurança, se omite"
Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu os ataques pelo ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, que taxou o governo federal de ser omisso no que diz respeito à segurança pública; "É uma crítica injusta, mais por razões eleitoreiras do que por convicção, porque ele sabe que não foi assim que aconteceu, inclusive quando ele era governador", disse; "Recentemente tivemos uma greve da polícia em Pernambuco e nós estivemos lá, com as Forças Armadas", acrescentou; segundo Campos, "o governo federal corre deste tema de segurança, se omite" (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, rebateu as críticas feitas pelo ex-governador de Pernambuco e presidenciável pelo PSB, Eduardo Campos, que taxou o governo federal de ser omisso no que diz respeito à segurança pública. Para Cardozo, as críticas do socialista foram "injustas" e motivadas por "razões eleitoreiras".

"É uma crítica injusta, mais por razões eleitoreiras do que por convicção, porque ele [Campos] sabe que não foi assim que aconteceu, inclusive quando ele era governador", afirmou Cardozo, nesta quarta-feira (4) para o Portal Uol. "É uma crítica injusta do candidato, porque ele próprio me recebeu várias vezes quando era governador para discutir o programa de segurança", acrescentou.

O ministro ainda destacou que, sempre que acontece uma greve da polícia em Pernambuco, o governo federal manda tropas para a segurança da cidade. "Recentemente tivemos uma greve da polícia no Estado de Pernambuco e nós estivemos lá, com as Forças Armadas", relatou, se referindo à greve da Polícia Militar (PM) e dos Bombeiros Militares de Pernambuco, que durou pouco mais de dois dias e originou uma onda de saques e violência no Estado.

Foi durante uma visita, nesta terça-feira (3), às instalações do Afroreggae, na favela de Vigário Geral, na Zona Norte do Rio, que Campos fez as críticas contra a gestão da segurança pública da Dilma. "O governo federal corre deste tema de segurança, se omite. Não coloca recursos, não discute um pacto federativo para fortalecer um sistema nacional de defesa social e segurança pública. Não pode ter sistema só para quando tem Copa do Mundo", disse Campos na ocasião.

Ele também cobrou responsabilidade do Governo Federal no enfrentamento ao tráfico de drogas nas fronteiras, além de cobrar a elaboração de políticas conjuntas de repressão ao crime. O ex-governador também afirmou que o efetivo da Polícia Federal foi reduzido durante a administração da presidente Dilma Rousseff (PT).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247