Ceará deve ter racionamento de água a partir de julho

Em debate na Assembleia Legislativa nesta quarta (22), o secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, disse que o Ceará passa por uma das piores décadas de seca na história e enfatizou que os reservatórios do Estado estão com apenas 12,5% da capacidade. Em entrevista a um blog local, ele afirmou está previsto o racionamento de água em Fortaleza e Região Metropolitana a partir de julho

Em debate na Assembleia Legislativa nesta quarta (22), o secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, disse que o Ceará passa por uma das piores décadas de seca na história e enfatizou que os reservatórios do Estado estão com apenas 12,5% da capacidade. Em entrevista a um blog local, ele afirmou está previsto o racionamento de água em Fortaleza e Região Metropolitana a partir de julho
Em debate na Assembleia Legislativa nesta quarta (22), o secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, disse que o Ceará passa por uma das piores décadas de seca na história e enfatizou que os reservatórios do Estado estão com apenas 12,5% da capacidade. Em entrevista a um blog local, ele afirmou está previsto o racionamento de água em Fortaleza e Região Metropolitana a partir de julho (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - O secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, esteve nesta quarta-feira (22), na Assembleia Legislativa, onde falou sobre a situação dos reservatórios de água do Estado e os planos de enfrentamento à seca que vêm sendo implementados pelo governo. O gestor classificou a atual década como uma das mais secas que o Estado já viveu, lembrando que os volumes dos reservatórios de água variam de acordo com as chuvas. Ainda de acordo com ele, o Ceará está vivendo o momento de maior ciclo de aporte abaixo da média dos seus reservatórios, com apenas 12,5% de reservas hídricas.

O gestor informou que está em elaboração o Plano de Contingência e Otimização da Oferta de Água para Fortaleza e Região Metropolitana, buscando uma economia de 20% do volume de água consumida, que deve passar a valer a partir de 20 de julho. Em entrevista ao Blog do Eliomar, Teixeira disse que a ação pode, tecnicamente, ser chamada de racionamento. “Vamos reduzir a pressão de um lado da Cidade em um dia e, depois, no outro lado da Cidade em outro dia, para não secar toda a rede”, afirmou. 

Para atravessar os cinco anos de seca, a Secretaria vem trabalhando em ações emergenciais para atender às demandas de todos os municípios. Entre as medidas, Teixeira destacou as adutoras de montagem rápida, instalação de poços profundos, serviços de carros-pipa, campanhas de uso racional da água, aplicações de multa para excessos, além de ações estruturantes.

“Em 2015, construímos 180 km de novas adutoras e ainda terminamos 130 km do Governo passado, utilizando cerca de R$ 56 milhões. Em 2016, estamos na luta para construir 214 km, chegando a 1.000 km de adutoras de montagem rápida, usando mais R$ 43 milhões que nos foram prometidos pelo Ministério da Integração Nacional”, salientou o secretário.

Segundo Francisco Teixeira, só em 2015 foram mais de 1.100 ações no combate à escassez de águas nos municípios, e a meta para 2016 é de 2.000 ações. Só em 2016, foram construídos 762 poços e quase 100 dessalinizadores, além do desenvolvimento do Cinturão das Águas, que já tem 55% das obras dos 38 km do seu primeiro lote concluídas, com previsão para encerramento no primeiro semestre do ano que vem.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247