Cessão do Porto das Barcas é anulada

O Diário Oficial do Estado publicou um decreto anulando a cessão de uso do Complexo Porto das Barcas pela Associação Comercial de Parnaíba; assinada pelo então governador Wilson Martins, em 20 de setembro de 2013, a cessão foi anulada por "estar eivada de flagrante nulidade"

O Diário Oficial do Estado publicou um decreto anulando a cessão de uso do Complexo Porto das Barcas pela Associação Comercial de Parnaíba; assinada pelo então governador Wilson Martins, em 20 de setembro de 2013, a cessão foi anulada por "estar eivada de flagrante nulidade"
O Diário Oficial do Estado publicou um decreto anulando a cessão de uso do Complexo Porto das Barcas pela Associação Comercial de Parnaíba; assinada pelo então governador Wilson Martins, em 20 de setembro de 2013, a cessão foi anulada por "estar eivada de flagrante nulidade" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Piauí Hoje - O Diário Oficial do Estado publicou o Decreto de nº 17.278, de 27 de junho de 2017, anulando a cessão de uso do Complexo Porto das Barcas pela Associação Comercial de Parnaíba. Assinada pelo então governador Wilson Martins, em 20 de setembro de 2013, a cessão foi anulada por “estar eivada de flagrante nulidade”, conforme pareceres 17/2015 e 08/2017 da Procuradoria Geral do Estado.

O decreto anula a cessão “em virtude de vício insanável declarado junto aos autos do processo PGE/2015079883-0, revertendo ao patrimônio imobiliário do Estado os bens objeto do referido termo”.

A 1ª Promotoria de Justiça de Parnaíba já havia ajuizado Ação Civil Pública para anular a cessão de uso em virtude da situação do Complexo, que foi abandonado pela Associação Comercial de Parnaíba e servia de abrigo para usuários de droga.

“...O mencionado termo estabeleceu a exploração gratuita do Conjunto Arquitetônico Porto das Barcas, bem tombado e pertencente ao patrimônio cultural piauiense, que necessita de urgentes medidas de conservação para o pronto restabelecimento e para a preservação da memória estadual”, argumenta o governador no decreto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247