CH: abusos de Skaf devem ser punidos pelo TSE

Colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder, cobra da Justiça Eleitoral providências contra os abusos de poder econômico cometidos pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf; jornalista afirma que o pré-candidato ao governo paulista já gastou R$ 16 milhões com propaganda antecipada e com o marqueteiro Duda Mendonça, usando recursos do Sistema S, que estão sob a fiscalização do TCU

Colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder, cobra da Justiça Eleitoral providências contra os abusos de poder econômico cometidos pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf; jornalista afirma que o pré-candidato ao governo paulista já gastou R$ 16 milhões com propaganda antecipada e com o marqueteiro Duda Mendonça, usando recursos do Sistema S, que estão sob a fiscalização do TCU
Colunista Claudio Humberto, do Diário do Poder, cobra da Justiça Eleitoral providências contra os abusos de poder econômico cometidos pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf; jornalista afirma que o pré-candidato ao governo paulista já gastou R$ 16 milhões com propaganda antecipada e com o marqueteiro Duda Mendonça, usando recursos do Sistema S, que estão sob a fiscalização do TCU (Foto: Leonardo Attuch)

SP 247 - A candidatura de Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias de São Paulo, ao governo paulista, dificilmente chegará viva ao mês de outubro. Skaf está na mira do Tribunal Superior Eleitoral, cujo presidente, Marco Aurélio Mello, prometeu rigor nas próximas eleições, e de influentes colunistas políticos.

Nesta quinta-feira, Claudio Humberto, editor do Diário do Poder, praticamente cobra sua impugnação por abuso de poder econômico. Ao contrário de todos os outros candidatos, que só poderão fazer propaganda durante o período permitido por lei, Skaf vem torrando recursos da Fiesp, que são paraestatais e fiscalizados pelo Tribunal de Contas da União, em promoção pessoal.

Leia, abaixo, as notas de Claudio Humberto:

Skaf antecipa campanha na TV por conta da Fiesp

Já em campanha para governador, o ex-industrial Paulo Skaf (PMDB) antecipou sua campanha por meio de comerciais pagos pela Fiesp, a Federação das Indústrias de São Paulo, que ele preside. A Fiesp, que integra o “Sistema S”, é destinatária de recursos públicos e por isso está sujeita a fiscalização do Tribunal de Contas da União. A campanha antecipada de Skaf na TV pode configurar abuso de poder econômico.

Fiesp é partido?

Skaf usa recursos do Sesi e do Senai para manter o marqueteiro Duda Mendonça à frente do seu projeto político, tocando sua campanha.

Sobrando

Entre novembro a maio de 2012 (seis meses), Sesi e Senai gastaram R$ 16 milhões em propaganda, mais do que muitas grandes empresas.

Oportunismo

Sem voto e pouco conhecido, Skaf faz sua campanha tentando faturar decisões do governo Dilma, como se tivesse algo a ver com elas.

Como?

Paulo Skaf não se deixou alcançar para falar sobre sua campanha antecipada. Até sua assessoria esquivou-se, alegando recesso.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247