Cláudio Nunes: "aliança construída por Déda não continuará em 2014"

Jornalista Cláudio Nunes afirma na edição desta quinta-feira (6), em seu blog, que, passados três meses do falecimento do governador Marcelo Déda, o grupo que ele liderou na última década dificilmente permanecerá unido em 2014 e pode até mesmo "perder o controle do governo estadual"; segundo o colunista, "a prudência neste momento foi deixada de lado e até o início de abril os aliados de hoje podem ser adversários ferrenhos"

Jornalista Cláudio Nunes afirma na edição desta quinta-feira (6), em seu blog, que, passados três meses do falecimento do governador Marcelo Déda, o grupo que ele liderou na última década dificilmente permanecerá unido em 2014 e pode até mesmo "perder o controle do governo estadual"; segundo o colunista, "a prudência neste momento foi deixada de lado e até o início de abril os aliados de hoje podem ser adversários ferrenhos"
Jornalista Cláudio Nunes afirma na edição desta quinta-feira (6), em seu blog, que, passados três meses do falecimento do governador Marcelo Déda, o grupo que ele liderou na última década dificilmente permanecerá unido em 2014 e pode até mesmo "perder o controle do governo estadual"; segundo o colunista, "a prudência neste momento foi deixada de lado e até o início de abril os aliados de hoje podem ser adversários ferrenhos" (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 - O jornalista Cláudio Nunes afirma na edição desta quinta-feira (6), em seu blog no Portal Infonet, que, passados três meses do falecimento do governador Marcelo Déda, o grupo que ele liderou na última década dificilmente permanecerá unido em 2014 e pode até mesmo "perder o controle do governo estadual".

Segundo o colunista, "a prudência neste momento foi deixada de lado e até o início de abril os aliados de hoje podem ser adversários ferrenhos". "Parece uma nau sem rumo à beira de uma tempestade", atesta.

Abaixo o texto na íntegra:

Três meses sem Marcelo Déda

Situação sem rumo em 2014

No último domingo 02, completou-se três meses do falecimento do governador Marcelo Déda. Da passagem de Déda para um plano superior até o dia de hoje a aliança construída por ele nos últimos anos dificilmente continuará em 2014.

Os motivos são os mais variados, entre eles o desejo do governador Jackson Barreto em ampliar a aliança, abrindo espaço na majoritária para o DEM e a insatisfação causada no PSB que deve ir para outro caminho, ou com candidatura própria, ou apoiando outro candidato.

Déda, com todas as virtudes e defeitos que tinha, conseguia aglutinar em torno de si lideranças, com argumentações e seus discursos que eram verdadeiros tratados sobre a democracia e a arte da convivência.

O certo é que a situação rachada pode perder o comando do governo estadual. A prudência neste momento foi deixada de lado e até o início de abril os aliados de hoje podem ser adversários ferrenhos. Parece uma nau sem rumo à beira de uma tempestade.

É como escreveu Sponville, um dos escritores preferidos de Déda refletindo sobre a prudência: "...Em suma, a moral não basta a virtude; são necessárias também a inteligência e a lucidez...É imprudente ouvir apenas a moral, e é imoral ser imprudente."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email