Clécio desiste da reforma de R$ 15 milhões na Câmara

Presidente da Casa afirma em entrevista coletiva que será realizada apenas uma minirreforma nos gabinetes para melhorar estrutura de trabalhos dos vereadores. Clécio Alves também descartou a construção de uma nova sede para a Câmara Municipal e justificou não ter dinheiro para este projeto. Peemedebista, no entanto, manteve a decisão de ar sequência ao projeto de R$ 4 milhões que prevê gastos com publicidade. "Nós temos a intenção de usar a mídia para que nos ajude a divulgar e fazer o trabalho de todos os 35 vereadores", tentou explicar

Presidente da Casa afirma em entrevista coletiva que será realizada apenas uma minirreforma nos gabinetes para melhorar estrutura de trabalhos dos vereadores. Clécio Alves também descartou a construção de uma nova sede para a Câmara Municipal e justificou não ter dinheiro para este projeto. Peemedebista, no entanto, manteve a decisão de ar sequência ao projeto de R$ 4 milhões que prevê gastos com publicidade. "Nós temos a intenção de usar a mídia para que nos ajude a divulgar e fazer o trabalho de todos os 35 vereadores", tentou explicar
Presidente da Casa afirma em entrevista coletiva que será realizada apenas uma minirreforma nos gabinetes para melhorar estrutura de trabalhos dos vereadores. Clécio Alves também descartou a construção de uma nova sede para a Câmara Municipal e justificou não ter dinheiro para este projeto. Peemedebista, no entanto, manteve a decisão de ar sequência ao projeto de R$ 4 milhões que prevê gastos com publicidade. "Nós temos a intenção de usar a mídia para que nos ajude a divulgar e fazer o trabalho de todos os 35 vereadores", tentou explicar (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247_ O presidente da Câmara Municipal, Clécio Alves (PMDB), afirmou na segunda-feira em entrevista coletiva que não vai colocar em prática o projeto de reforma da Casa ao custo de R$ 15 milhões - elaborado na gestão passada. Será realizado uma espécie de minirreforma (não foi revelado o valor) nos gabinetes dos vereadores, melhorando a estrutura de trabalho.

Clécio também descartou a transferência da Câmara para o Park Lozandes, região onde fica o Paço Municipal e disse que não há dinheiro suficiente para construção de uma nova sede. Ao longo da entrevista o peemedebista disse que blogs plantaram fofocas e inverdades a respeito do projeto de reforma da Casa - Clécio não citou quais blogs.

Para justificar a licitação de R$ 4 milhões para gastos com publicidade, o vereador falou dos valores consumidos pelo governo estadual e prefeitura de Goiânia com divulgação na mídia. "Nós temos a intenção de usar a mídia para que nos ajude a divulgar e fazer o trabalho de todos os 35 vereadores. Inclusive levando a Câmara Municipal de Goiânia aos bairros, principalmente, os mais distantes. Queremos a participação direta e próxima da população com o poder", tentou explicar.

O vereador Djalma Araújo (PT) é contra esse projeto da publicidade e deve ir ao Ministério Público para tentar barrar a tramitação da matéria. O petista diz que esses recursos de R$ 4 milhões deveriam ser revertidos para a sociedade de outra forma e não ser usados para promover a imagem da Câmara.

Sempre que fala no assunto, Clécio justifica que a Casa tem uma imagem arranhada junto à sociedade e que essa imagem precisa ser melhorada. A gestão do peemedebista está sendo marcado por seus confrontos com o vereador Djalma e no primeiro semestre ganhou destaque (negativo) com a derrubada do projeto que pretendia instituir no plenário o ponto eletrônico biométrico para os vereadores.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email