“Coisa de moleque”, diz Camilo sobre críticas de Wagner

As críticas feitas pelo deputado estadual Capitão Wagner (PR) à atuação do Estado na segurança, chamando o governo de "frouxo" após a onda de ataques em Fortaleza e RMF, foi definida pelo governador Camilo Santana (PT) como “coisa de moleque”. O chefe do executivo estadual lamentou “esse tipo de oportunismo” do parlamentar e disse que não vai entrar nesse jogo

As críticas feitas pelo deputado estadual Capitão Wagner (PR) à atuação do Estado na segurança, chamando o governo de "frouxo" após a onda de ataques em Fortaleza e RMF, foi definida pelo governador Camilo Santana (PT) como “coisa de moleque”. O chefe do executivo estadual lamentou “esse tipo de oportunismo” do parlamentar e disse que não vai entrar nesse jogo
As críticas feitas pelo deputado estadual Capitão Wagner (PR) à atuação do Estado na segurança, chamando o governo de "frouxo" após a onda de ataques em Fortaleza e RMF, foi definida pelo governador Camilo Santana (PT) como “coisa de moleque”. O chefe do executivo estadual lamentou “esse tipo de oportunismo” do parlamentar e disse que não vai entrar nesse jogo (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - O governador Camilo Santana (PT) definiu como “coisa de moleque” as críticas feitas pelo deputado estadual Capitão Wagner (PR) na Assembleia Legislativa após a onda de ataques a veículos e prédios em Fortaleza e Região Metropolitana. O parlamentar disse que o Governo vem trabalhando com dados que mostram que a violência está diminuindo, mas que a realidade do fortalezense não condiz com os números. "A verdade é que não da pra ter um secretário de segurança valente e um governo frouxo. O secretário pode ser um super-homem, mas sozinho, ele não irá conseguir sanar os problemas de violência que o Estado vem sofrendo” disse ainda o deputado.

Em entrevista na tarde de hoje (20), Camilo lamentou “esse tipo de oportunismo” e reiterou que o que vem ocorrendo é uma reação às medidas que o governo estadual tem adotado na luta contra o crime organizado. “Isso é coisa de moleque. Acho que se aproveitar do momento pra querer tirar vantagem política, eu não vou entrar nesse jogo. Agora, frouxo é quem nunca pegou uma arma e nunca foi combater um bandido no Ceará. Isso é frouxo”, disse o governador.

(Com informações do Blog do Eliomar)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247