Consórcio ou financiamento?

Saiba qual é a melhor opção na hora de comprar um automóvel

Consórcio ou financiamento?
Consórcio ou financiamento?

Da redação do Mulheres em Ação

Dizem por aí que os brasileiros são apaixonados por carro. Mas o que será que pesa mais na escolha? O status, a independência ou o bolso? Na hora de financiar o seu automóvel, alguns cuidados são essenciais para que o sonho não se torne um pesadelo.

Com a flexibilização do crédito, muitos brasileiros conseguiram realizar o sonho de ter um carro. Uma pesquisa mostrou que 56% da frota de automóveis brasileiros eram financiados e, em 40% dos casos, o crédito foi feito por meio de crédito direto ao consumidor (CDC) e consórcio.

Os tipos mais comuns de financiamento de veículos são o Crédito Direto ao Consumidor (CDC) e o leasing. Mas, se não dá para pagar à vista, como decidir entre estes e consórcio?

Para começar, é preciso entender a diferença entre eles. A primeira diferença entre o financiamento e o consórcio é é o prazo de recebimento do veículo. No caso do consórcio, o recebimento depende de sorteio, ou de um lance que você faz como se fosse um leilão. Nesse caso é possível que a pessoa receba o carro no primeiro mês – ou só no final do consórcio - que dura, em média, entre 36 e 60 meses. Portanto o consórcio é uma alternativa para quem não tem pressa.

O consórcio não cobra juros, mas tem custos financeiros e reajustes. Nos consórcios, em geral, paga-se uma taxa de entrada, a qual pode ser amortizada com as prestações que variam de 1 a 1,5% do valor do bem. Outro custo é a taxa de administração, a qual gira em torno de 15% do valor do bem e que pode ser diluída com as prestações. E por fim, paga-se um valor que é um fundo de reserva, o qual fica em torno de 2% do valor do bem, que também pode ser divido e pago com as prestações.

Já o financiamento por meio de leasing tem o prazo mínimo de financiamento de 24 meses, e o CDC, começa com 3 e vai até 60 meses. O leasing, contratualmente falando, é como se fosse um aluguel. Em geral, quando você adquire um veículo por leasing, ele não fica em seu nome, e sim no nome da administradora com quem você fez o financiamento - somente quando você quita todas as prestações é que o bem é transferido para seu nome. Já para quem opta pelo CDC, o veículo já sai no próprio nome, mas com uma observação de alienação à financeira. Uma vantagem que o leasing tem sobre o CDC é que ele é livre da cobrança de IOF, o que torna o valor final um pouco mais baixo. Mas, em compensação, para aqueles que fazem o financiamento e pretendem antecipar o pagamento das parcelas de trás para frente, o CDC é a melhor escolha, pois no leasing essa opção não é possível - você deve arcar com as parcelas mês a mês, sem a opção de quitar a dívida antes do prazo acordado.

Na hora de comprar seu carro ou moto, analise qual tipo de financiamento atende suas necessidades, seus objetivos e que caiba em sue bolso. E é importante lembrar que, para aqueles que não têm pressa em pegar o automóvel, vale a pena poupar e pagar à vista, negociando um desconto no valor do bem.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247