Correia aponta o “powerpoint de Aécio e sua turma no Rio”

O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) questionou por que não se faz uma investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), megadelatado na Operação Lava Jato; "Já imaginou se o juiz Sergio Moro resolvesse julgar o amigo Aécio? E se o promotor Dallagnol investigasse Aécio Neves, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o empresário Alexandre Aciolly, entre outros que faziam parte da 'turma de farras'"?", questionou o petista pelo Facebook; no post, consta um powerpoint mostrando as ligações de Aécio com Cabral, com alvos da Lava Jato no Rio, com um ex-diretor da Odebrecht e com Susana Neves Cabral, ex-mulher de Cabral e prima de Aécio

O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) questionou por que não se faz uma investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), megadelatado na Operação Lava Jato; "Já imaginou se o juiz Sergio Moro resolvesse julgar o amigo Aécio? E se o promotor Dallagnol investigasse Aécio Neves, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o empresário Alexandre Aciolly, entre outros que faziam parte da 'turma de farras'"?", questionou o petista pelo Facebook; no post, consta um powerpoint mostrando as ligações de Aécio com Cabral, com alvos da Lava Jato no Rio, com um ex-diretor da Odebrecht e com Susana Neves Cabral, ex-mulher de Cabral e prima de Aécio
O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) questionou por que não se faz uma investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), megadelatado na Operação Lava Jato; "Já imaginou se o juiz Sergio Moro resolvesse julgar o amigo Aécio? E se o promotor Dallagnol investigasse Aécio Neves, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o empresário Alexandre Aciolly, entre outros que faziam parte da 'turma de farras'"?", questionou o petista pelo Facebook; no post, consta um powerpoint mostrando as ligações de Aécio com Cabral, com alvos da Lava Jato no Rio, com um ex-diretor da Odebrecht e com Susana Neves Cabral, ex-mulher de Cabral e prima de Aécio (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) questionou por que não se faz uma investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), megadelatado na Operação Lava Jato e, recentemente, pedindo propina de R$ 2 milhões a um dos sócios da JBS Joesley Batista, conforme apontou uma gravação do empresário.

"Já imaginou se o juiz Sergio Moro resolvesse julgar o amigo Aécio? E se o promotor Dallagnol investigasse Aécio Neves, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, o empresário Alexandre Aciolly, entre outros que faziam parte da 'turma de farras'"?", questionou o petista pelo Facebook.

Segundo Correia, "seria muito fácil chegar aos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Afinal, onde tem rolo, tem Aécio! O power point diz tudo!", disse ele.

Na rede social, o deputado citou três reportagens, que, na avaliação dele, são "esclarecedoras sobre o esquemão do Aécio com Sérgio Cabral e a turminha de amigos do Rio".

Uma delas, do Jornal do Brasil, intitulada "Alexandre Accioly, um empresário íntimo da política", relata que, após a deflagração da "Operação ‘C’est Fini’, em alusão aos crimes da 'farra dos guardanapos' que envolve o ex-governador Sérgio Cabral e empresários, o empresário Alexandre Accioly é figura fácil nas rodas de políticos".

"Grande amigo do senador Aécio Neves (PSDB) e do apresentador Luciano Huck, que poderá debutar no cenário político eleitoral de 2018, Accioly também cultiva sociedades com o ex-jogador Ronaldo Nazário e o técnico de vôlei Bernardinho, que deve disputar cargo eletivo no próximo ano", diz a matéria (veja aqui).

Na outra reportagem, também do JB, com o título "Sadala se preparava para deixar o Brasil, diz MPF", a notícia é a de que o empresário Georges Sadala, preso preventivamente nesta quinta-feira (23), se preparava para deixar o país com a família, conforme uma petição do Ministério Público Federal (MPF) que fundamentou a operação C'est Fini.

Segundo a matéria, Georges Sadala é "'amigo de farras' do senador tucano Aécio Neves, e também tem proximidade com Alexandre Aciolly, dono da rede de academias Body Tech, e Fernando Cavendish, ex-dono da Delta, que também foram intimados a depor na operação desta quinta, destaca a coluna de Lauro Jardim no O Globo" (leia mais aqui).

Na terceira matéria, do DCM, com o títutlo "Cabral e Aécio, amigos, contraparentes, trajetórias iguais: por que só um deles está preso?", o relato é o que que "Cabral e Aécio são muito mais do que amigos. São quase parentes. Ou amigos de luta" (confira)

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247