Correia critica ganho de tempo de Azeredo: a Justiça faz parte do golpe

O deputado estadual Rogério Correia (PT) criticou o fato de o ex-governador de Minas Eduardo Azeredo ter ganho mais tempo para recorrer no processo do mensalão tucano em que foi condenado a 20 anos de prisão; "O crime de que Azeredo é acusado foi praticado em 1998! Nem Google existia na época!... Por que Eduardo Azeredo e Aécio Neves têm tempos diferentes dos de Lula e petistas? Simples: porque a Justiça faz parte do golpe para entregar o país", disse

O deputado estadual Rogério Correia (PT) criticou o fato de o ex-governador de Minas Eduardo Azeredo ter ganho mais tempo para recorrer no processo do mensalão tucano em que foi condenado a 20 anos de prisão; "O crime de que Azeredo é acusado foi praticado em 1998! Nem Google existia na época!... Por que Eduardo Azeredo e Aécio Neves têm tempos diferentes dos de Lula e petistas? Simples: porque a Justiça faz parte do golpe para entregar o país", disse
O deputado estadual Rogério Correia (PT) criticou o fato de o ex-governador de Minas Eduardo Azeredo ter ganho mais tempo para recorrer no processo do mensalão tucano em que foi condenado a 20 anos de prisão; "O crime de que Azeredo é acusado foi praticado em 1998! Nem Google existia na época!... Por que Eduardo Azeredo e Aécio Neves têm tempos diferentes dos de Lula e petistas? Simples: porque a Justiça faz parte do golpe para entregar o país", disse (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - O deputado estadual Rogério Correia (PT) criticou o fato de o ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo ter ganho mais tempo para recorrer no processo do mensalão tucano em que foi condenado a 20 anos de prisão.

"O crime de que Azeredo é acusado foi praticado em 1998! Nem Google existia na época!... Por que Eduardo Azeredo e Aécio Neves têm tempos diferentes dos de Lula e petistas? Simples : porque a Justiça faz parte do golpe para entregar o país", escreveu o parlamentar.

O desembargador Júlio César Lorens, que acatou o agravo regimental apresentado pela defesa do tucano solicitando que as notas taquigráficas de uma sessão fossem anexadas à ação. Com isso, o tucano ganha mais tempo, que pode ser somado aos 11 anos já contabilizados ao logo de todo o processo.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Azeredo foi o principal beneficiário do esquema de desvio de verbas de estatais para a campanha eleitoral. A fraude funcionava por meio de repasses estatais para o suposto patrocínio de eventos esportivos. A denúncia apontou que empresas repassavam a verba à empresa SMP&B, de Marcos Valério. O Banco Rural também consta no processo. Ele forneceria empréstimos às agências sem apresentação de garantias. Esses recursos abasteciam a campanha.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247