"Déda vai vencer como eu", diz Dilma sobre câncer

Ao final do discurso durante a inauguração da maior ponte fluvial do Nordeste, em Sergipe, a presidente Dilma Rousseff endereçou ao governador Marcelo Déda (PT), que enfrenta um tratamento contra um câncer no estômago, uma mensagem de força: ""Quero dizer para o Déda o quanto eu, no fundo da minha alma, torço por ele. Eu e o Déda tivemos a mesma doença. E eu acho que estamos no mundo para lutar"

"Déda vai vencer como eu", diz Dilma sobre câncer
"Déda vai vencer como eu", diz Dilma sobre câncer (Foto: Roberto Stuckert Filho)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Valter Lima _especial para o 247 - Além da indiscutível importância da inauguração da maior ponte fluvial do Nordeste e do Parque Eólico de Sergipe, a visita da presidente Dilma Rousseff (PT) ao menor Estado da Federação nesta terça-feira, 29, teve um componente emocional muito significativo.

Ao final do primeiro discurso, Dilma endereçou ao governador Marcelo Déda (PT), que enfrenta um tratamento contra um câncer no estômago, uma mensagem de força e disposição para vencer a doença. As palavras da presidente, que superou um câncer, emocionaram Déda.

"Quero dizer para o Déda o quanto eu, no fundo da minha alma, torço por ele. Eu e o Déda tivemos a mesma doença. E eu acho que estamos no mundo para lutar, obviamente, para ser feliz, mas todo mundo tem de lutar. A gente luta para criar filhos, netos, para ter uma casa, pelo melhor para a nossa família, mas tem uma luta que sai de dentro de nós: é a luta que nós temos que enfrentar para sobreviver. E a gente ganha essa luta", afirmou.

Dilma prosseguiu dizendo que "com a graça de Deus e com muito esforço, cada um ganha a luta". "E eu tenho certeza, Déda, que você ganhará a luta como eu ganhei. E quero dizer mais: nós do Governo Federal, todos os prefeitos aqui de Sergipe, vários líderes políticos, mesmo os que não são daqui, estaremos contigo, para realizar os sonhos pelos quais você tem batalhado todos os dias", disse. Ao final do discurso, a presidente deu um forte e demorado abraço no governador.

Agradecimento a Deus

Antes do pronunciamento de Dilma, o próprio Déda já havia falado um pouco sobre a situação que enfrenta. Ao iniciar o discurso dele, o governador agradeceu a Deus por poder estar inaugurando aquelas obras.

"Presidente Dilma, permita-me que a primeira palavra do meu discurso seja direcionada não a uma autoridade terrena, embora esse seja um ato de um governo republicano laico, mas o ser humano que governa o Estado tem o dever e a obrigação de agradecer a Deus por ter me permitido estar aqui hoje, vivo e com saúde e alegria, para entregar uma obra que há quatro meses quando soube da minha doença pensei que não entregaria. Muito obrigado, Senhor Deus", disse.

Diagnosticado com câncer no estômago, Déda tem se submetido a sessões de quimioterapia em São Paulo, no Hospital Sírio Libanês. No último boletim divulgado no final do ano passado, o câncer estava estabilizado. Mesmo em tratamento, o governador não se ausentou do cargo e tem participado de uma agenda intensa de atividades da gestão estadual.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247