Depois dos índios, o nó ambiental de Armínio

Dono do hotel de luxo Fazenda da Lagoa, em Una, na Bahia, o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga enfrenta problemas em série; dias atrás, índios tupinambás ocuparam o hotel, alegando ser donos da área; além disso, a licença ambiental do empreendimento foi suspensa pelo Ibama; Armínio terá, agora, que resolver o problema com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira

Depois dos índios, o nó ambiental de Armínio
Depois dos índios, o nó ambiental de Armínio
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga deve estar com saudades do tempo em que pilotava os fundos de George Soros, em Nova York. Um de seus empreendimentos no Brasil, o hotel de luxo Fazenda da Lagoa, em Una, na Bahia, enfrenta problemas com a Funai e com o Ibama.

Dias atrás, o hotel de luxo foi invadido por índios tupinambás, que reivindicam a posse da área. Além disso, ele está com a licença ambiental suspensa desde julho do ano passado por não ter, segundo o Ibama, replantado a vegetação nativa de forma adequada.

Nesta semana, Armínio tentará resolver o problema em audiência com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247